destaque / Passeios



Sou suspeita e comprometida porque tanto gosto da Disney que sou colunista do site brasileiro desde que chegou ao Brasil, em 2013.

Eu tenho que discordar de quem critica e menospreza quem leva a família para a Disney.

Viajar é bom, ponto. 

Parque de diversão, quando para a faixa etária, é bom, ponto. 

Viajar em família é bom, ponto. 

A Disney é realmente mágica e talvez não seja para os pequeninos – e falo com propriedade, Manu fez 1 ano lá. Mas é incrível para crianças depois dos 8 anos e pode ser boa para as bem resistentes de 6.

A questão é que não deve ser o ápice da vida em família, o grande objetivo, tampouco um sacrifício. Tem sentido se for natural. 

E outlet com crianças é uma opção infeliz consumindo dias de férias em família. 

É possível ir a Orlando ou Miami sem se render, assim como ir a Paris e não perder tempo na Galerie Laffayette. 

E a gente não se torna menos “ser pensante” porque gosta de comer bem no Epcot ou se divertir na montanha russa tibetana do Animal Kingdom.

A gente tem o direito de se divertir. 

Simples assim.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas