Einstein teve tempo para brincar #BauDeDiversoes

20120119-104601.jpg

Neste começo de ano decidi reler esta obra querida que foi um dos guias da primeira infância dos meus meninos. Bom demais notar como o “brincar desestruturado” foi válido para eles!

O livro, escrito pelas terapeutas (e mães) Diane Eyer, Kathy Hirsh-Pasek e Roberta Michnick Golinkoff, é uma ode à boa e velha infância, aquela na qual brincar (sem preocupação, planos futuros ou competição acirrada) era a grande “preocupação” das crianças. E um brincar desestruturado, sem adultos orientando ou ditando regras, sem brinquedos prontos e com liberdade de ação.

Aposto muito neste jeito de crescer e, ao reler a obra agora que os meninos já estão grandes, noto que esta atitude foi muito boa para eles – e para nós!

E aí, como você vivência o brincar com as crianças da família? É uma atividade feliz, livre e comunitária?

Nestas férias em que o clima não ajudou quase nada – todo dia chovia e a gente nunca sabia se faria calor ou frio – eu notei que a capacidade de reinventar as atividades e brincar dentro de casa foi o diferencial para que Enzo e Giorgio pudessem aproveitar bem o tempo livre. As brincadeiras que sempre fizemos e estimulamos e que pudemos reviver nesta temporada de Baú de Diversões (a Cabaninha montada no sofá e cadeiras na sala, a “mania” de ser mímico e de virar Estátua de repente, Batata Quente misturada com guerra de almofadas) nos mostram como a boa infância pode ser revivida mesmo numa realidade cheia de tecnologia e de crianças de cidade grande, contrariando a visão de que a gente precisa de condições externas para ser feliz. Creio que quem faz as condições ideiais somos nós e quem cria um ambiente lúdico em família são os pais.

Que tal começar hoje com uma brincadeira simples?

Estátua é uma brincadeira divertida que funciona com um grupo a partir de 3 pessoas e um líder. Quando o líder gritar: “Estátua!”, todo mundo para no lugar e o líder vai perguntando, de um por um, o que é aquela estátua. Ganha a mais engraçada, a mais criativa, a mais assustadora.

Aqui em casa inventamos e brincamos ouvindo música: as estátuas de dançarinos são as mais engraçadas!

Curtiu? Então entre na brincadeira também!

Esta brincadeira faz parte das sugestões do baú de diversões de NINHO Soleil . Fica aqui o convite para você acompanhar as atividades de todas as mães blogueiras que assumiram o compromisso de abrir o Baú de Diversões nas suas casas e contar em seus blogs sobre as brincadeiras nas suas famílias: Gisele Barcellos(@kidsindoors), Monica Brandão(@comercrescer), Eliane Ceccon(@1001roteirinhos), Sam Shiraishi(@samegui), Cybele Meyer (@educaja) e Tiffany Stica (@blogdati).

Acompanhe a gente e siga a hashtag #baudediversoes. E não deixe de contar aí nos comentários, no Twitter ou no seu blog quais são as suas atividades favoritas.

Posts relacionados

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook