Educar na Cultura Digital

Nesta sexta a Bienal reunirá muitos dos interessados em educação e tecnologia que eu conheço e será chance ímpar de ver ao vivo algumas @s com quem eu troco mensagens no Twitter e cujos blogs estão nos meus feeds há tempos.

Trata-se do debate Educar na Cultura Digital que reune, a partir das 19h, Léa Fagundes, coordenadora do Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (há mais de 20 anos em ações de informática educacional); Rodrigo Nejm (@safernet), diretor de Prevenção da Safernet e responsável pela criação de materiais pedagógicos e pesquisas para prevenção aos cibercrimes contra Direitos Humanos no Brasil; e André Lemos (@andrelemos), professor da Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia e diretor do Centro Internacional de Estudos Avançados e Pesquisa em Cibercultura, mediados pela apresentadora de rádio e TV Renata Simões (@nilda).

Segundo li, haverá transmissão ao vivo aqui.

Educar na Cultura Digital, Léa Fagundes, Rodrigo Nejm, André Lemos, Renata Simões, Léa Fagundes, Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ações de informática educacional, Rodrigo Nejm, Prevenção da Safernet, materiais pedagógicos e pesquisas para prevenção aos cibercrimes contra Direitos Humanos no Brasil,  André Lemos,   Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia,  Centro Internacional de Estudos Avançados e Pesquisa em Cibercultura, Renata Simões

O encontro marca o lançamento do Grupo de Estudos que envolve a mesma temática, objetivando oferecer aos educadores e demais interessados uma oportunidade de reflexão e discussão sobre os desafios que a sociedade digital traz para o cotidiano de ensino e aprendizagem na escola. Segundo os organizadores, Educar na Cultura Digital vai além de compreender as tecnologias digitais como ferramentas de ensino, vai além, busca formar o cidadão para a apropriação de novos códigos e linguagens da era digital para seu próprio desenvolvimento intelectual, cultural e exercício responsável e ético de novas práticas sociais.

Educar na Cultura Digital, Léa Fagundes, Rodrigo Nejm, André Lemos, Renata Simões, Léa Fagundes, Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, ações de informática educacional, Rodrigo Nejm, Prevenção da Safernet, materiais pedagógicos e pesquisas para prevenção aos cibercrimes contra Direitos Humanos no Brasil,  André Lemos,   Faculdade de Comunicação da Universidade Federal da Bahia,  Centro Internacional de Estudos Avançados e Pesquisa em Cibercultura, Renata Simões

E como isso vai acontecer na internet?

Para a viabilização do Grupo de Estudos, foi projetado um espaço online, com ambiente interativo, na plataforma tecnológica de ensino à distância do Programa EducaRede. Os participantes terão a sua disposição materiais didáticos e de apoio, com indicação de fontes de pesquisa, além de recursos como bate-papos e palestras com especialistas, transmitidos via Internet pela TV WEB da Fundação Santillana.

Quem media e organiza?

A mediação online será organizada de forma a potencializar o aprofundamento de conteúdos e a troca de conhecimento e experiências entre os participantes, durante a realização de cinco módulos de estudo, em torno dos seguintes temas: Mundo Digital; Geração Interativa (ou Geração Y); Aprendizagem na Cultura Digital; Ensino e Inovação Pedagógica; e Avaliação em TIC.

Como faço para me inscrever?

O Grupo de Estudos inicia atividades em agosto, devendo se estender até dezembro. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas via internet por meio do endereço www.educarnaculturadigital.org.br.

P.S. O debate acontecerá no Auditório Monteiro Lobato, Rua H, nº. 30, da Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Centro de Exposições Anhembi. Av. Olavo Fontoura, 1209 – Santana, São Paulo.

[update]
Videos que fiz no encontro

@andrelemos

@safernet

Léa Fernandes

[/update]

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook