destaque / sustentabilidade

“O Dia da Sobrecarga começou a ser calculado há 10 anos, mas a Global Footprint compila dados que remontam ao ano de 1961, quando a sobrecarga ambiental dobrou no planeta. A projeção atual é de que precisemos de duas Terras para sustentar a humanidade antes de 2050. A mensagem é que esse padrão de desenvolvimento não tem como se sustentar por muito tempo.”

earth overshoot day 2013

Esta é daquelas notícias que, se não dá sorte de ter um dia “fraco” nos telejornais, passa desapercebida e poucos ficam sabendo, mas que pode chamar um bom debate se tiver destaque e espaço na mídia: o Planeta Terra esgota hoje sua cota natural de recursos para 2013.

Isso mesmo: “se a humanidade se comprometesse a consumir a cada ano só os recursos naturais que pudessem ser repostos pelo planeta no mesmo período, em 2013 teríamos de fechar a Terra para balanço hoje, 20 de agosto“. A estimativa da Global Footprint Network, ONG de pesquisa que há dez anos calcula o “Dia da Sobrecarga“, dá conta de que neste ano o esgotamento ocorreu mais cedo do que em 2012 (no ano passado foi em 22 de agosto) e alerta que esta conta piora a cada ano.

Alguns vão argumentar: “ora, o que são dois dias?”…
Bem, um ou dois dias a cada ano significa muita coisa sim!

A entidade usa o Dia da Sobrecarga para orientar a população e mostrar de forma prática que, para sustentar o atual padrão médio de consumo da humanidade, a Terra precisaria ter 50% mais recursos. E para ajudar os leigos a entenderem a questão, a Global Footprint Network se utiliza do conceito de “pegada ambiental”, aquela medida objetiva do impacto do consumo humano sobre recursos naturais, usando dados da ONU, da Agência Internacional de Energia, da OMC (Organização Mundial do Comércio), com detalhamento regional a partir de dados dos governos dos próprios países, chegando a um número que leva em conta o consumo global, a eficiência de produção de bens, o tamanho da população e a capacidade da natureza de prover recursos, de biodegradar e reciclar resíduos. Ao final, esta conta é traduzida em unidades de “hectares globais”, que representam tanto áreas cultiváveis quanto reservas de manancial e até recursos pesqueiros disponíveis em águas internacionais. Como a emissão de gases de efeito estufa também entra na conta e países ganham mais pontos por preservar florestas que retêm carbono, alguns são credores e outros devedores do Planeta. 

Continuamos aparecendo como credores no panorama traçado pela Global Footprint Network, pois o Brasil oferece ao mundo mais recursos naturais do que consome. Isso se deve em grande parte à Amazônia, que retém muito carbono nas árvores, e a uma grande oferta ainda de terras agricultáveis não desgastadas, mas ONGs como a WWF-Brasil (que faz o cálculo da pegada ambiental do país) afirmam que estamos perdendo este papel aos poucos.  

“Na cidade de São Paulo, usamos mais de duas vezes e meia a área correspondente a tudo o que consumimos”, diz Maria Cecília Wey de Brito, da WWF. O número é similar ao da China, um dos maiores “devedores” ambientais.

earth overshoot day 2013

Meu convite é: não fique aí parado. Compartilhe boas práticas e seja agente da mudança que você quer para o mundo.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas