E no dia do jornalista, revendo o jornalismo gonzo e os blogs…

“O jornalismo gonzo é por muitos nem considerado uma forma de jornalismo, devido à total parcialidade, falta de objetividade e pela não seriedade com que a notícia é tratada, fugindo a todas as regras básicas do jornalismo.”
(Texto de 2008, sobre blog ser jornalismo gonzo)

No Dia do Jornalista, relembrando a formatura. Quem diria que as três áreas de comunicação - Jornalismo, Publicidade e Relações Públicas - teriam uma convivência tão íntima nas novas mídias?
"No Dia do Jornalista, relembrando minha formatura. Quem diria que as três áreas de comunicação - Jornalismo, Publicidade e Relações Públicas - teriam uma convivência tão íntima nas novas mídias?"

Logo cedo vi recados muito gentis no meu Twitter por conta do Dia do Jornalista. Além de ser o dia no qual a profissão que escolhi é homenageada, é aniversário da minha formatura como jornalista pela UFPR. Em 1997 lá estava eu com outros colegas comunicadores (jornalistas, publicitários e relações públicas) me comprometendo a manter ouvidos atentos, olhos curiosos e voz comprometida com valores éticos.

Dia do jornalista
Dia do jornalista - quando eu me formei, estas eram as referências de jornalismo...

Quando vejo coberturas jornalísticas eu fico em dúvida se todos os meus colegas atuais prestaram o mesmo juramento que eu. Não o que se faz no dia da Colação de Grau, mas o que se faz internamente, ao se decidir ser um repórter (aquele que reporta, que conta os fatos) ou um articulista (o que reune informações e com elas conclui quais possibilidades estão latentes diante dos fatos). Vejo alguns envolvidos e empenhados, outros (muitos) encarando o jornalismo como um trabalho operário no qual “pegamos uma pauta” como quem assume o trabalho de fazer barras de calças em oficinas de shoppings, sem comprometimento com “o todo” que envolve o que vamos presenciar, investigar ou noticiar.

Durante meu primeiro estágio, entrevistando manifestantes em cima de um carro de som #diadojornalista
"Durante meu primeiro estágio, entrevistando manifestantes em cima de um carro de som no centro de Curitiba. Alguns temas - como a educação e os movimentos sociais, já estavam comigo desde o princípio."

Como o jornalista atual se relaciona cotidianamente com situações inesperadas na sua formação, desde o fim da exigência do diploma até o imediatismo da notícia e o curto prazo de validade dos links?  Estarão os colegas cientes de que é preciso adotar uma nova postura, estar aberto às novidades e ao novo posicionamento tanto como “formadores de opinião” quanto como “replicador de notícias”, de que há muito o que aprender com os novos produtores (os blogueiros, tuiteiros, etc.) e é imprescindível adotar uma conduta digital consciente como um dos pilares da ética profissional?

Não sei a resposta e, como gosto muito de fazer, deixo a pergunta aqui para vocês me ajudarem e responder no Dia do jornalista:

Qual é o papel do jornal e da profissão de jornalista nos dias atuais?

P.S. Não vou fingir, foi dificil para mim deixar de escrever no estilo revista (que se alonga, se aprofunda, reflete e tenta concluir os pontos de vista) e começar a escrever no formato blog – e assumir que eu trabalho com mídia social. Foi um aprendizado, mas não deixei de fazer os textos verticais que usam e abusam de links para dar ao leitor a chance de se aprofundar. A diferença é que abri mão de concluir e prazeirosamente me entrego à obra inacabada que é um post em blog ou ao convite à discussão que é o micropost de 140 caracteres no Twitter. E, num dia como o de hoje, fico feliz por ver que o jornalismo está saindo de seu “aquário” e começa a respirar o mesmo ar dos seus personagens fontes. Longa vida ao novo.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook