Driblando o destino

Final de segunda-feira, enquanto esperava o Lipstick Jungle começar, peguei o final de um filme  inglês que eu já vi e gostei muito. Bend it like Beckham (em português Driblando o destino, 2002) é uma comédia de costumes, ao estilo Casamento Grego, só que com algo mais. O elenco, com Parminder Nagra (a dra. Neela Rasgotra do seriado E.R.) e Jonathan Rhys Meyers (The Tudors), revelou revelou Keira Knightley (Piratas do Caribe e Orgulho e Preconceito), nos faz pensar como 6 anos podem fazer diferença, pois hoje são astros hollywoodianos e estava à frente deste despretencioso filme de produção anglo-alemã, dirigido pela cineasta de origem indiana Gurinder Chadha.

Além do elenco e da aparição do casal Beckham, do colorido indiano em contraposição à vida sem graça dos ingleses, está a decisão de duas moças de origens distintas de fazer valer seus sonhos e usar seus talentos. Você já passou por isso, eu também… Mas e se sua filha linda, feminina, meiga de repente fosse uma excelente jogadora de futebol? É um drama semelhante ao do pai que tem um filho que é ótimo dançarino? Não sei, mas certamente escapa do que esperamos. É um erro esperar, desejar coisas para os filhos, mas é inevitável criar alguma expectativa sobre eles. 🙂

Neela RasgotraQuando o pai da personagem Jesminder Bhamra diz que quer não quer que a filha viva como ele, sem aproveitar as oportunidades, que não viva uma vida de medo e enfrenta a esposa (que não abre mão da tradição e quer que a filha seja mais uma boa moça de família, como as outras anglo-indianas da sua comunidade) dizendo que suas duas filhas lhe daram orgulho no mesmo dia – uma casando tradicionalmente como indiana, outra ganhando a final do campeonato feminino amador – ele é um reflexo do que queremos ser como pais. E do que esperamos que nossos pais sejam conosco.

P.S. As atrizes de “Driblando o Destino” receberam aulas de futebol de Simon Clifford, professor de futebol de salão na vida real.

P.P.S. Simpatizo muito com a Parminder, fisicamente ela lembra minha irmã Sheron, que é médica e os meninos sempre falam que a dra. Neela é a Tatá. 🙂

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.