Dos valores que passamos para os filhos sem querer querendo…

“Quando eu for adulto vou brincar muito com meu filho para ele não ficar triste”, diz #aos8. Pergunto por que diz isso e se nós não brincamos e ele me responde: “não é isso, é que eu tenho meu irmão, mas vou ter que brincar com meu filho no começo, enquanto ele for filho único”.
@giorgio_bros

"Quando eu for adulto vou brincar muito com meu filho para ele não ficar triste", diz #aos8. Pergunto por que diz isso e se nós não brincamos e ele me responde: "não é isso, é que eu tenho meu irmão, mas vou ter que brincar com meu filho no começo, enquan

O que a gente depreende? Uma vida sem irmão não é totalmente feliz, mas os pais podem suprir até isso? Ou estou precisando de uma folga no cotidiano para brincar mais com meu caçula?

😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook