Dogmas católicos

Pode não ter relação alguma com a fé que citei ao comentar o livro A Cabana – ou ter tudo – mas ontem vi uma produção improvável que reunia nomes famosos de Hollywood para tratar de Dogma (1999), estrelado por Matt Damon, Ben Affleck, Linda Fiorentino e Salma Hayek. Preciso dizer que eles estavam super jovens, quase irreconhecíveis? E que o filme é estranho mas inteligente? Em se tratando dos quatro atores, são comentários desnecessários. Mas o interessante é a forma como eles discutiam os dogmas da igreja católica e mostravam a ira dos anjos enviados por Deus para fazer a justiça divina. Parei para ver o filme porque era da época em que Damon e Affleck, colegas de faculdade e grandes amigos, surgiram juntos no cinema quando ganharam um oscar pelo roteiro original Gênio Indomável – protagonizada por Matt e Robin Williams (que ganhou o Oscar de Melhor Ator). Se você não gosta de filmes alternativos ou de piadinhas de baixo calão (tão a cara dos personagens da Linda Fiorentino!), não assista, mas se não se incomodar, confira, está passando na rede Telecine.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook