156 mil crianças e adolescentes deixaram de trabalhar – mas ainda faltam 3,5 milhões! Compartilhe #semtrabalhoinfantil

trabalho infantil diminuiu no brasil semtrabalhoinfantil

Adorei o final de semana em Maceió, mas foi duro ver crianças trabalhando no comércio. Reforcei meu desejo de atuar na campanha #semtrabalhoinfantil e pelo trabalho adolescente protegido.

Hoje, na volta para o trabalho em São Paulo, soube que, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD), o trabalho infantil diminuiu no Brasil de 2011 para 2012.

Isso é bom?

Sim, mas o ritmo ainda é muito menor do que gostaríamos: apenas 156 mil crianças e adolescentes deixaram de ter o seu trabalho explorado, enquanto 3,5 milhões ainda continuam trabalhando.

Só para você ter uma ideia, se continuarmos diminuindo a uma taxa de 4,3% ao ano, apenas em 2048, aproximadamente, teremos um Brasil #semtrabalhoinfantil e com trabalho adolescente protegido.

A mesma pesquisa indicou o crescimento do número de pessoas analfabetas acima de 15 anos. E isso pode ter tido como consequência outro dado da pesquisa: o aumento de jovens com 16 e 17 anos que trabalham em 4,1%, o que significa que mais 23 mil garotos e garotas podem ter entrado no mercado de trabalho per terem uma educação falha.

Isso é muito sério, ainda mais se lembrarmos que nunca o Brasil teve tantos jovens (26% da população) e a chance de aumentar a riqueza e produção do país. Mas isso se for garantido o estudo e o cumprimento do trabalho protegido pela Lei do Aprendiz.

Isso é da nossa conta e precisa mudar mais rápido.

Vem pro nosso papo semanal, às quintas-feiras à tarde, na fanpage do Pró-Menino e seja você também um multiplicador do tema, tirando o assunto e os pequenos cidadãos da invibilidade.

Compartilhe estas informações e as suas ideias para ajudar o Brasil a se transformar em um país #semtrabalhoinfantil

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.