destaque / mobilidade

dia mundial sem carro 2013

Ideal seria podermos trocar a realidade assim, como num cartoon: saem os carros, abrem-se ruas para pessoas e bicicletas e todos vivemos felizes para sempre.

Infelizmente, a realidade exige mais de nós todos.

Exige, sobretudo, que a gente aprenda a coexistir, a conviver.

Hoje, 22 de setembro, é o Dia Mundial Sem Carro. Para muitas das cidades brasileiras que aderiram ao movimento, foi um dia chuvoso no qual deixar de usar o carro foi um desafio, como é, no cotidiano, conviver com o transporte público, com o trânsito maluco mesclando carros/bikes/motos e como é sempre ser pedestre nas grandes cidades.

Mesmo assim, devemos nos esforçar por encontrar um caminho bom para todos e para isso precisamos cobrar das autoridades atitudes constantes que promovam a boa convência entre todos os elementos do trânsito.

Soube que em São Paulo a data foi marcada por uma proibição da circulação de carros no centro histórico, numa iniciativa (que eu considero pouco prática, mais uma estratégia de marketing) para incentivar o uso do transporte público e priorizar o fluxo de pedestres e ciclistas.

Entendo o Dia Mundial Sem Carro como um dia para repensarmos a nossa relação com a cidade e o espaço público, para considerarmos como encontrar um modo mais confortável de convivência entre os meios que utilizamos para nos deslocar. É uma oportunidade para que a reflexão sobre a necessidade da convivência em harmonia nas ruas seja estendida para toda a população.

É também um dia para pensarmos de forma prática, não somente teorizarmos e criarmos sonhos utópicos, como o do centro histórico sem carros. É para pensarmos quantos de nós precisamos mesmo ir e voltar do trabalho todos os dias sem adotar o trabalho remoto em home office como alternativa em alguns dias da semana, se precisamos mesmo entrar e sair do expediente na firma no mesmo horário, superlotando as vias e as alternativas de transporte público, se realmente não podemos rever a ideia de buscar um trabalho que pague um pouquinho mais e por 10% ou 20% de aumento no salário bruto sacrificarmos 2 a 3 horas da nossa vida todo dia.

Repensar a vida é repensar nossa relação com a mobilidade e entendo o Dia Mundial Sem Carro como um convite para esta revisão de valores e de escolha!

O Dia Mundial Sem Carro nasceu na França há dez anos e se espalhou por cidades de todo o mundo. Em São Paulo, a iniciativa acontece desde 2005.

Posts relacionados:

Você pode gostar também de ler:
Neste ano meu filho mais velho completa 18 anos e - geração Uber - ele
Desde 1961, 12 de dezembro é o Dia Nacional do Cego, uma data que busca conscientizar a
A maioria das mensagens de texto que são transmitidas por dia contém questões parecidas com
Lembram-se que estou voltando a dirigir? http://www.maecomfilhos.blog.br/2017/08/mae-na-direcao.html   Pois é, e com isso voltou meu
Tenho um filho na contagem regressiva pelos 18 anos. É questão de meses! Avaliem meu
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas