empreendedorismo

Um tuite há pouco me lembrou que hoje é dia da Empregada Doméstica.

Na minha infância esta profissão era mais uma ocupação, tão comum e tão desvalorizada quanto era a presença feminina nos lares. As mulheres eram, em sua maioria, do lar. E se cuidar da família tinha pouco (ou nenhum) valor chegando a ser motivo de demérito, imaginem como era pouco importante ser a ajudante da “do lar”…

Mas os tempos mudaram, felizmente. Hoje a empregada doméstica é a profissional contratada por quem reconhece que não tem tempo ou condições para os afazeres domésticos como passar, lavar, cozinhar e limpar a casa. E, como nossa casa é um ambiente que desejamos que seja agradável e nos transmita paz e felicidade, este profissional passa a ter muita importância e valor, daí a dificuldade de se conseguir um bom ajudante nos dias de hoje.Falo no masculino porque minha família já teve um ajudante, do sexo masculino, um dos melhores que minha mãe teve para cuidar do lar e dos seus filhos, mas também porque é considerado empregado domésticotodo aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à pessoa ou família, que pode ser tanto na residência principal ou de lazer, como casa de praia, de campo, etc“.

Fica aqui minha gratidão aos empregados que passaram pela minha vida – e minha esperança de encontrar uma nova boa ajudante, pois neste dia da empregada nem tenho uma para presentear ou agradecer pessoalmente, uma vez que a minha me deixou na mão há algumas semanas.

🙁

P.S. E se você quer saber mais sobre os direitos de quem trabalha em casa, vale ler os diversos posts sobre o tema no blog do @marcosalencar, advogado trabalhista e a voz por trás do Instante Jurídico da CBN-Recife.


Posts relacionados:

Você pode gostar também de ler:
Desde que fiz meu primeiro detox digital, num verão há alguns anos, eu tenho descoberto
Eu vi nascer o Fórum Cristão de Profissionais. Estava no culto num domingo em que
vait_mcright / Pixabay Sempre acreditei na vida junto. Nada do que
“Cada sonho que você deixa para trás é um pedaço do seu futuro que deixa
Participei do COLab, o Laboratório de Convergência Audiovisual, que reuniu na Unibes Cultural interessados na
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas