Dia da França

[Dia da França Parque da Água Branca] -2 por você.

Hoje é o Dia da Queda da Bastilha, aniversário da Revolução Francesa que em 1789 trouxe ao mundo ideais libertários e igualitários, resultando numa nova ordem mundial – não vou falar que democrática, porque depois disso houve colonização em vários países, mas pelo menos com ideais diferentes dos monárquicos.

[Dia da França Parque da Água Branca] por você.

Em comemoração a esta data, dentro do calendário do Ano da França no Brasil, no domingo (12/07) o Parque da Água Branca abrigou um Dia da França em São Paulo. Fomos lá conferir e nos divertimos com os meninos e com os filhos de amigos, como podem ver nas fotos que ilustram o post.

[Dia da França Parque da Água Branca] Parkour por você.

Os meninos gostaram especialmente de duas coisas: os traceurs (homens, porque não vejo traceuses por aí, infelizmente) mostrando os movimentos de parkour. A atividade tipicamente francesa que vem se popularizando em todo mundo tinha um encontro bonito na região da casa da administração do parque – e já contei aqui como acho Le Parkour muito legal.

Esporte que combina com as grandes cidades, está focado em dez habilidades básicas: caminhar, correr, pular, movimento quadrúpede, escalar, andar em equilíbrio, arremessar, levantar, defender-se e nadar. E no domingo a promessa dos praticantes era oferecer uma clínica para iniciantes e demonstrações de profissionais, reunindo aproximadamente 300 atletas de todo o Brasil – e dois franceses mais conhecidos. Achei interessante, bem organizado e cuidadoso o modo como ensinavam aos iniciantes noções básicas de segurança, amortecimento e impacto.

[Dia da França Parque da Água Branca] por você.

Do outro lado, na área central do parque, uma exibição equestre da Cavalaria da PM encantou crianças e adultos com a apresentação do Carroussel e o Volteio, baseados nas práticas do exército Francês. Os policiais montados fizeram movimentos sincronizados de figuras hípicas e acrobacias sobre os cavalos, agradando a platéia que se espremia para vê-los.

[Tem algumas fotos das acrobacias no meu flickr]

Pena que a “Village France”, espaço destinado à gastronomia francesa a preços populares, estava tão lotado que de lá saímos para uma lanchonete de fast food, mas o restante da festa francesa estava interessante.

Enfim, fica aqui como minha homenagem ao Dia da França!

P.S. Lembrancinha pessoal: me formei em francês num dia 14 de julho e foi no primeiro ano de namoro com o Gui. No ano seguinte, quando completou um ano, ele me presenteou com um mimo especial: uma biblia em francês para eu ler os Salmos, que acho tão sonoros. E lá descobri vários trechos que ficam lindos en français.  Claro que hoje eu lembro muito pouco – porque nunca usei o idioma no cotidiano, ao contrário do que acontece com o inglês -, mas o francês foi sempre muito especial para mim porque era habitualmente falado por minha mãe na minha primeira infância. Merci maman! 😀

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook