Desenvolvimento sustentável na Amazônia (por @zeoffline)

Na semana da Rio + 20, a Coca-Cola Brasil promoveu um encontro sobre desenvolvimento sustentável na Amazônia que contou com a presença do líder do Governo no Senado, senador Eduardo Braga, superintendente-geral da FAS (Fundação Amazonas Sustentável), Virgilio Viana, e do ex-secretário de estado de Indústria, Comércio e Turismo do Amazonas, Professor Rodemark Castelo Branco.

Acompanhamos por streaming o painel, que permitiu um aprofundamento sobre a sustentabilidade na região. O debate abrangeu as iniciativas que enfatizam não somente as questões ambientais, sociais e econômicas relacionadas ao desenvolvimento no Amazonas, mas o lado cultural das comunidades locais.

Do encontro percebemos claramente que a parceria que a FAS possui com empresas do setor privado para manter essas iniciativas gera um valor incalculável como responsabilidade social. O impacto na floresta amazônica também é positivo: 98% dessa área que diz respeito ao território brasileiro está preservada. Esse dado animador tem ligação direta com o polo industrial de Manaus, onde as empresas ali instaladas têm consciência ambiental no processo da cadeia produtiva.

Segundo Virgílio Viana, o desafio é conter o desmatamento e fortalecer o conceito de valorização econômica da floresta. Dois tipos de investimento são aplicados como parte dessa estratégia. Um deles é a geração de renda através das cadeias produtivas (frutas e borracha, por exemplo) e depois turismo como base de comunitário. O segundo conjunto de investimentos envolve o âmbito social, principalmente para saúde e educação; mesmo sendo de responsabilidade do governo, acabam não sendo priorizados pela distância e falta de infraestrutura.

O senador Eduardo Braga refletiu o tema discutido durante a conferência da Rio+20: como transferir uma economia poluidora que se desenvolve sem planejamento e com impactos desastrosos no meio ambiente para uma economia verde, cujo cenário atual é constituído de uma crise econômica. Ele enfatizou a importância da Zona Franca de Manaus, porém salientou que essa região não tem como suprir todas as necessidades do Amazonas e resolver seus problemas sociais e econômicos. Por isso, é importante combinar políticas públicas com as iniciativas implementadas pela FAS.

E quanto à população ribeirinha? O apoio para quem mora na região e uma formação continuada da população devem fazer parte de toda e qualquer estratégia para a Amazônia Legal e neste sentido o Barco-escola, apresentado pelo professor do Senai, Rodemark Castelo Branco, no vídeo que incorporamos abaixo, é um exemplo de iniciativa.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook