Descubra o significado das hashtags gringas



Vi um texto outro dia e salvei porque achei super útil. Era sobre o uso de hashtags no Instagram e a #utilidadepublica era o fato de explicar algumas hashtags gringas.

Eu uso muito, criei as minhas para reforçar a identidade dos meus projetos – #maecomfilhos #pequenosleitores #conversasdecozinha #avidaquer #agentenaoquersocomida. 



E confesso que prefiro as brasileiras, em português, como as das imagens deste post, que descobri no aplicativo Viber. Deu saudade de usar #prontofalei e #vergonhaalheia, só para citar dois exemplos de hashs das antigas! 

Mas afinal, para quê servem estas palavras grudadas escritas com um jogo da velha na frente?



“As hashtags funcionam como uma espécie de etiqueta e servem pra mostrar aos outros usuários qual o tema da foto, além de servir também como link para buscar outras publicações do mesmo assunto.”

Ao usar as nossas também estamos buscando ser da turma, parecer descolados e *mudernos*. Mas as gringas dão o efeito  “cool chattinggang talkfine speak”



Veja na explicação de @juliamedrado os “significados muito próprios, a linguagem urbana evolui e se moderniza a cada dia…” enfim, tire proveito das hashtags mais #hot:

#insta: sempre vemos hashtags acompanhadas de “insta” no início, o que significa que a foto foi tirada e tagueada especialmente para ser veiculada no Instagram.

#regram: repostagem de uma imagem que alguém já tinha postado antes. É sempre legal indicar que a foto não é originalmente sua, assim tudo fica bem explicado e creditado.

#hype: é o assunto que está “dando o que falar” nos círculos fechados das pessoas mais modernas. Geralmente é algo passageiro, produto da própria moda comportamental. A palavra deriva de hipérbole, figura de linguagem que representa o exagero de algo ou uma estratégia para enfatizar alguma coisa.

#selfie: tirar uma foto de si mesmo (com ou sem ajuda de espelhos) pode ser irresistível, mas compartilhá-la nas redes sociais é moda nova e já bastante difundida, principalmente entre adolescentes. E tem muita celebridade aderindo, sinal de que não é por falta de fotógrafo…

#throwbackthursday ou #TBT: é uma hashtag usada quando os usuários do Instagram postam fotos antigas. Como a rede é conhecida por sua instantaneidade imediatista, nada mais adequado (e estimulante) que identificar e separar bem aquelas publicações com cheirinho de naftalina, né? Começou pelo #ThrowbackThursday e se expandiu para o #FlashbackFriday e #WaybackWednesday. Porque relembrar é preciso.

#WeOutHere: expressão atribuída ao skatista Larry Redmon, de São Francisco, que a usava para descrever o esforço de um skatista para conseguir fazer uma manobra. No Brasil, seria equivalente a uma mistura entre o “é nóis” e o “vamo que vamo”.

#OOTD: é a versão inglesa (outfit of the day) do “look do dia”. Ao invés de usar a ultra famosa hastag #lookdodia, que é acessada apenas por falantes da língua portuguesa, é possível taguear sua foto com o #ootd para atrair likes internacionais.

#vscocam: muitas pessoas editam suas fotos através de um aplicativo da Visual Supply Company e gostam tanto que decidem colocar uma tag indicando a origen do efeito. Se quiser conhecer, acesse este link.

#DIY: a abreviação de Do it yourself é perfeita para mostrar a todos que aquele trabalho manual tem um passo-a-passo e pode ser feito por qualquer um, desde que saiba seguir as instruções. Como não são necessários recursos profissionais, arregace as mangas e mãos à obra!

#foodporn: Nada de pornografia, essa tag é usada para indicar comidas absurdamente gostosas e provocantes. As que dão vontade de se lambuzar. Sabe quando a calda da cobertura de um bolo está super brilhante ou quando o sanduíche despretensioso fica bem colorido? Foto na hora porque é foodporn.

#mce: essa tag abreviativa e gringa é simplesmente um amorzinho, pois permite que você publique fotos da sua paixão com a desculpa de ser uma “my crush everyday“.

#justnow: essa tag indica que a foto ou post foi feito exatamente naquele momento da publicação. Instantaneamente tagueado e informado. Ótimo para quem tem stalkers de plantão, ansiosos por notícias quentinhas e ao vivo!

#stalker: nem sempre usada como tag ou hastag, essa expressão inglesa serve para designar aqueles seres benditos que cuidam mais da nossa vida virtual que nós mesmos! Os fanáticos obcecados e desocupados que fuçam tudo, desde o último post (da sua prima) até aquela sua primeira foto de 2001, quando você ainda tinha Orkut e acreditava em chat do Uol.

#latergram: indica que a foto postada foi tirada em outra data, mas não tão antiga a ponto de precisar de uma #tbt

#yolo: “you only live once” usada para indicar imagens de situações únicas, viagens, loucuras e momentos que combinam com o conceito de carpe diem.

#nofilter: especialmente encontrada nos posts do Instagram, essa tag indica que nenhum filtro de cor foi usado naquela foto, ou seja, a iluminação e as cores são naturais, realistas e frescas como a realidade pintou.

#lifeforlike: essa tag denuncia um certo desespero de quem a usa. Afinal, serve para buscar likes, ou seja, uma ferramenta de mendicância virtual. Quem usa essa tag quer trocar curtidas em fotos. Você curte a da pessoa e ela curte as suas. Apesar de não ser nada pomposa, funciona.

Então, #partiu né? 

Ah, compartilhe, afinal, #gentilezageragentileza 



Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook