Você já ouviu falar do Portal Único de Escolas de Governo?

Defendido como uma solução para a oferta de capacitação a distância no serviço público brasileiro, este espaço digital surgiu em 2017, como a proposta para superar a fragmentação dos serviços de hospedagem e gestão acadêmica, buscando garantir a continuidade dos serviços de capacitação a distância do serviço público e solucionar problemas estruturantes que tenham origem na oferta descentralizada de cursos.

Para o servidor ou cidadão que busca capacitação no serviço público, a EV.G oferece um catálogo de cursos unificado das principais escolas de governo e centros de capacitação da Administração Pública.

Eu não sou servidora pública, mas me inscrevi num dos cursos para sentir como funciona. Neste ano, pretendo fazer muitos cursos para poder acompanhar cada dia com mais seriedade e conhecimento dos meandros das questões públicas.

TheDigitalWay / Pixabay

Começo o ano com o curso de Noções gerais de direitos autorais, que cabe muito bem na minha atuação como comunicadora, como mostra a ementa:

Com o advento da internet, o compartilhamento de materiais aumentou significativamente, causando algumas dúvidas e incertezas em relação à autoria, uso e possibilidade de modificações desses materiais. Nesse curso, você conhecerá algumas questões gerais sobre direitos autorias no Brasil e aprenderá a relacionar as recomendações e determinações legais às situações reais de uso e de compartilhamento de materiais produzidos por terceiros.

Pretendo fazer na sequência, o curso de Acesso a informação, que trata das bases normativas, conceituais e operacionais que podem ser utilizadas na aplicação da Lei de Acesso à Informação (LAI), oferecendo subsídios aos cidadãos e à administração pública em geral para a realização consciente e eficiente de atos relacionados à essa área. E curso Governo aberto, que examina os desenvolvimentos atuais, incluindo a abertura e reutilização de dados governamentais, como a divulgação de dados pelos governos dos Estados Unidos e da Europa.

Destaco também os cursos do MDH — Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, voltados à formação de conselheiros nas áreas de Cidadania, Gestão de Conselhos, Conselhos Tutelares e demais Conselhos específicos – dos Direitos da Criança e do Adolescente, Direitos da Pessoa com Deficiência, Promoção da Igualdade Racial, Direitos da Pessoa Idosa e Promoção dos Direitos da Pessoa em Situação de Rua. Disponíveis na plataforma da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP), as atividades são voltadas para agentes públicos e população em geral. A carga horária varia de 20h a 40h.

Não custa reforçar: os cursos são online e gratuitos.

Além disso, o servidor ou cidadão tem acesso a um cadastro e login únicos para a realização de suas capacitações, bem como um histórico escolar unificado. Para as instituições vinculadas, o Portal oferece uma série de serviços, a depender do tipo de associação da instituição com o projeto. Dentre os serviços oferecidos, estão a hospedagem de cursos, gestão acadêmica das ofertas e consolidação e tratamento de dados.

São 135 cursos ofertados, divididos nas seguintes temáticas: Dados, Informação e Conhecimento; Educação e Docência; Ética e Cidadania; Gestão de Pessoas; Gestão de Políticas Públicas; Gestão Estratégica; Governança e Gestão de Riscos; Logística e Compras Públicas; Orçamento e Finanças; Tecnologia da Informação; e Transferências Voluntárias.

P.S. Sam, o MDH — Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos é o da ministra pastora? A do pé de goiabeira, do menino veste azul, meninas são princesas? É sim e eu dei minha opinião sobre ela no meu Facebook.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, casada, mãe de 3, jornalista no @avidaquer @maecomfilhos @biblianafamilia.

Comentários no Facebook