Cuidados cotidianos garantem qualidade de vida e menos internações #saudenaotempreco

Na semana que passou relembrei uma história delicada relacionada à saúde do meu filho e o acidente que ele sofreu me fez conviver com outras famílias que necessitavam de tratamento médico contínuo, passando a compreender de fato o significado da expressão “Saúde não tem preço”. Ter certeza de que as pessoas que amamos serão bem atendidas é uma segurança e um conforto que todas as pessoas merecem ter!

Fico feliz por saber que este atendimento, em especial na medicina preventiva, alcança cada vez mais pessoas.

Viajando pelo interior do Paraná, onde eu cresci e que é ainda local que concentra cidades muito pequenas (destas de “uma avenida só”), me chamava atenção uma coisa: sempre vi, num local bom e visível, um posto de saúde em boas condições para atender a população local. Embora saibamos que algumas regiões sofrem com a falta de leito e de profissionais de saúde, estamos caminhando no sentido de garantir a saúde da população. Um dos programas que garante isso, por trabalhar no atendimento constante de doenças crônicas que podem ser tranquilas se cuidadas, mas se agravam com facilidade se descuidadas, está sob os cuidados do Ministério da Saúde.

O Saúde Não Tem Preço faz parte do Programa Farmácia Popular do Governo Federal, através do Ministério da Saúde, que oferece remédios de graça para portadores das doenças crônicas: hipertensão, diabetes e asma. Criado em fevereiro de 2011, o Saúde Não Tem Preço já beneficiou 10 milhões de pessoas. Em um ano, esses milhares de brasileiros conseguiram remédios para hipertensão e diabetes de graça nas farmácias credenciadas e estão vivendo dias melhores.

Em 04/06/2012 os medicamentos gratuitos para a asma entraram no programa, para alívio de muitos pais e familiares de asmáticos. A resposta da população foi tão boa que em apenas duas semanas 31.176 pessoas já haviam retirado os antiasmáticos de graça nas farmácias populares!

O interessante é saber como este é de fato um direito universal. Minha mãe, que tem bom plano de saúde, foi incluída no programa para receber seu kit mensal de insulina para cuidar da diabetes, sem qualquer “preconceito” com sua condição social. Ao saber disso eu pensei: o verdadeiro estado democrático é este, que cuida dos seus cidadãos sem distinção, pensando prioritamente em seu bem estar.

É fácil obter este benefício:

A obtenção dos medicamentos de graça é feita nas farmácias da rede “Aqui Tem Farmácia Popular”. Já são mais de 20 mil farmácias em mais de 3.200 municípios, sendo oferecidos gratuitamente 14 medicamentos para hipertensão, diabetes e asma. Para retirar os remédios de graça, o interessado deve procurar as farmácias e drogarias privadas credenciadas ou a rede de Farmácia Popular e apresentar o CPF próprio, receita médica válida e documento com foto.

Os cuidados cotidianos garantem qualidade de vida e menos internações:

Lembram-se de que falei que os casos se agravam menos? O que sempre ouvi de minha irmã, médica cardiologista que atuou como “médica da família” de um município da região metropolitana de Curitiba, é que quando cuidam da dieta e tomam os medicamentos necessários, os pacientes ficam bem e raramente precisam ser hospitalizados. Além de melhorar a qualidade de vida das pessoas, o programa resulta em economia de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS), uma vez que, desde seu lançamento, o número de internações por conta de diabetes e de hipertensão diminuiu. Em 2011, foram menos 8,4 mil internações por causa da hipertensão e 2,7 mil a menos por causa da diabetes.

Mesmo que não tenhamos pessoas com doenças crônicas na família, podemos ajudar divulgando este direito. Converse com as pessoas que você conhece, compartilhe a informação e ajude quem tem asma, hipertensão e diabetes a ter mais saúde. Para saber mais, visite o especial sobre o tema na fanpage do Ministério da Saúde.

Vamos fazer a nossa parte, divulgar o bem e ajudar a promover o conceito de saúde preventiva em nosso país.

😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook