Criação com apego e o livro The Successful Child

20130507-103339.jpg

Releitura que está me encantando desde a chegada da Manu: Crianças Bem Resolvidas (The Successful Child, de William e Martha Sears), que reforça a “criação com apego” que praticamos com os meninos e é novamente a tônica da convivência com nossa bebê. Que felicidade é reler esta obra amorosa depois de tantos anos e confirmar como a conexão com nossos filhos fez mesmo TODA diferença em nossas vidas. Super recomendo a leitura para quem acredita no amor como a melhor forma de educar.

Quando li o livro pela primeira vez percebi que aqui praticávamos intuitivamente a Criação por apego, que consiste em conectar-se afetivamente com seu filho desde o nascimento e com isso criar nele a capacidade de construir relações conectadas e confiantes. A criação por apego (CA) é um exercício no processo de conhecer o seu filho e é baseada na confiança mútua. Existem ferramentas para isso, mas não exatamente etapas para seguir (como em métodos para treinar as crianças para se comportarem, por exemplo) e nem todas as ferramentas precisam ser usadas – aqui uma delas, a da cama compartilhada, nunca foi natural, nem por isso as crianças sentem-se menos ligadas a nós.

Segundo os autores, seriam sete as ferramentas do apego:
1. Vínculo do nascimento: respeitar os dias e as semanas depois do nascimento para reforçar o processo de criação do vinculo entre pais e bebê.
2. Amamentação: além de dar nutrição superior e proteger contra doenças, o leite materno auxilia na estruturação do cérebro (favorecendo as sinapses) e permite que a mãe aprenda a “ler” as expressões faciais do bebê, o que será importante para sua comunicação futura.
3. Carregar o bebê junto ao corpo: o bebê e a criança pequena aprendem muito quando são carregados nos braços de alguém que cuida deles. Proximidade propicia sensibilidade e conexão.
4. Dormir perto do bebê: com a proximidade dos pais, o bebê aprende que o sono é um estado prazeroso e não ficam com medo de adormecer.
5. Acreditar no valor da linguagem do choro do bebê: sim, o choro do bebê é um sinal e uma forma de comunicação. Responder sensivelmente aos choro do bebê constrói confiança e toda a rede de comunicação entre pais e filhos é promovida.
6. Suspeitar de treinadores de bebê: criação por apego ajuda a conectar-se com seu filho, o ninaremos foca no controle sobre seu filho.
7. Estabelecer equilíbrio e limites: a chave para sobrevivência da família quando chegam os filhos é permanecer em equilíbrio e colocar limites apropriados. É aqui que o pai desempenha seu papel mais importante nesta fase: quando o pai também está envolvido com os cuidados com os filhos e as tarefas domésticos, a mãe tem tempo para se cuidar melhor e desfrutar sua vida conjugal. Permanecer em equilíbrio também requer que você saiba quando dizer não ao seu filho.

O livro Crianças bem resolvidas – O que os Pais Podem Fazer para Ajudar Seus Filhos a Serem Felizes (no Brasil publicado pela Editora Campus) foi presente de amigos e me ganhou na hora por tratar de temas que são frequentes no cotidiano dos pais, muito além das coisas práticas, focando a conversa na formação emocional e moral da criança, buscando ensinar aos filhos como ser bem resolvido e, consequentemente, feliz.

Interessante porque desmistifica alguns pontos – como os referenciais emocionais, ajudando até pais solteiros – e por outro lado ensina muito sobre a importância do contato – visual, físico, sonoro – com a criança desde o nascimento. Vi muito dos meus bebês lá – e indico para quem for ter bebê!

Martha é enfermeira diplomada, instrutora de parto diplomada, consultora de aleitamento materno e coautora (com Willain Sears e Elizabeth Pantley) de The Baby Book e The Discipline Book e uma daquelas referências em pediatria nos EUA, dando conselhos sobre todos os aspectos da gravidez, do parto, da puericultura e da alimentação de toda a família. William é médico pediatra há mais de 3 décadas, trabalhou no Children’s Hospital da Escola de Medicina de Harvard e no Hospital for Sick Children de Toronto, o maior hospital infantil do mundodá conselhos e informação sobre todos os aspectos da gravidez, do parto, da puericultura e da alimentação de toda a família.

Ao propor estudos de casos provenientes de seus quase 30 anos de prática, assim como de sua própria experiência como pais de oito filhos, os Sears falam de crianças que venceram os desafios do crescimento e conquistaram:

– Empatia e compaixão. Gentileza e bons modos
– Confiança e auto-estima
– A aptidão para fazer escolhas sábias
– Interdependência. Senso de humor
– Senso de responsabilidade.
– Relações positivas entre irmãos
– Amizades saudáveis
– Talentos especiais na vida acadêmica, nos esportes, nas artes, etc.

P.S. A versão brasileira está esgotada (sei porque procurei para presentear minha irmã que está grávida), mas deve ser fácil achar e-book em inglês, por isso postei o título original também 😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook