empreendedorismo

[update em fevereiro de 2012] Este sistema parece ter sido desativado! O post foi escrito em 11/02/2009 e, na época, era uma modalidade interessante e recomendável. Agradeço a compreensão dos leitores. [/update]

beauty-seller

As mulheres sempre foram empreendedoras vendendo de porta em porta. Agora elas contam com a ajuda da tecnologia. ;)

Toda terça tem feira aqui na rua de casa e é irresistível descer para ver a beleza da feira paulistana. Nem os gritos do tomate a 1 real e outras falas típicas dos feirantes tiram meu pique… o que me desanima com a feira é o fato de ter que usar dinheiro vivo. Habituados que somos com o dinheiro de plástico,  raramente eu ou meu marido temos dinheiro (cash) na carteira. Eis que ontem teve feira e, novamente, lá fui eu usar o carro para ir ao caixa eletrônico e tirar dinheiro para poder fazer a feira. Insano e nada sustentável, eu sei. Fiquei pensando que deveria ter uma forma dos vendedores autônomos se modernizarem. As revendedoras de cosméticos são outro exemplo que também sofrem por não ter a opção de venda com cartão de crédito: ou perdem a venda porque a cliente está sem dinheiro ou aceitam cheque ou vendem fiado. Eis que ao chegar em casa fui apresentada a um produto que me mostrou que esta vida moderna está chegando aqui. Ao melhor estilo futurista da Familia Jetsons, um lançamento da Redecard vai resolver a vida das revendedoras porque possibilita vendas em cartão de crédito via celular. Chama-se Foneshop e pretende facilitar a vida das pessoas que trabalham com venda direta e que estão buscando maneiras diferentes de aumentar o valor de sua renda. Com ele, lembrando histórias que meus amigos que moram no Japão me contam há anos, nossos celulares podem se transformar em terminais de transação de crédito. A diferença é que lá se usa o sistema como débito e aqui a proposta é oferecer crédito.  A promessa é transformar o celular em uma versão da máquina do cartão de crédito, permitindo que os revendedores efetuem vendas de seus produtos nos cartões Mastercard e Diners mesmo sendo door-to-door (venda de porta em porta).  Eu, que todo mês compro produtos de catálogo da vizinha abaixo (a única maquiagem que não me dá alergia é da Avon), teria a vida facilitada se pudesse pagar as compras com cartão. 🙂


Pelo que pesquisei (em fevereiro de 2009), há muitas vantagens: segurança, porque os vendedores não precisam circular com dinheiro na mão e garantia de recebimento porque o valor das vendas cai direto na conta corrente (evitando os famosos cheques sem fundo). E, claro, uma coisa boa para o vendedor (e nem tanto para as shopaholics de plantão!): aumentam as vendas porque fica fácil dividir as parcelas em até 3x sem juros.Além de toda comodidade para o cliente, é muito seguro pois nenhum dado do cartão fica armazenado no celular do vendedor. Perguntei para uma amiga que é expert em segurança online e em mobilidade para saber se tem segurança mesmo. Ela me falou que é um bom sistema, confiável e lembra muito as transações que fazemos habitualmente nas máquinas de cartões de crédito e débito das lojas, usando a mesma criptografia.
Como tenho várias amigas que trabalham com venda direta (minha irmã mesmo é uma consultora de cosméticos), achei a idéia boa de divulgar e topei na hora quando me convidaram a conhecer melhor.

* Este post é um publieditorial.


 

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas