relacionamentos

pedofilia.gifHoje é dia de blogagem coletiva sobre um tema árduo: Contra pedofilia, em defesa da inocência.

Luma Rosa convidou e eu, como outros amigos que já conferi hoje, não posso me omitir sobre este tema. Mas, confesso, não é algo que eu gostaria de fazer. Na verdade, a vontade que temos ao nos deparar com este tema é “dar as costas” ou “varrer para debaixo do tapete”, o que explica de certa forma a falta de atitude da sociedade e das famílias, que, infelizmente, propicia o surgimento de novas vítimas.

Ontem à noite eu teclava com uma amiga blogueira e comentávamos sobre a dificuldade em planejar o escrito para hoje. Eu não planejo nada, escrevo sempre sob o impulso da inspiração, mas ela planeja os temas e datas para seus escritos. Apesar das diferenças de modus operandi, nós duas partilhamos, curiosamente, o hábito de assistir ao seriado Law & Order SUV e frequentemente conversamos sobre os temas, talvez por passarem tão longe de nossas vidas.

Já falei sobre este programa no post Castração Química, é de vitimas de crimes sexuais, passa no canal Universal Channel. Aprendi muito sobre a pedofilia lá: não deixo fotos dos meus filhos em boa resolução na web, não deixo rastros para nos acharem na internet (sobrenomes – é, eu uso aqui o de solteira! – bairro, nome da escola, etc), e evito que meus filhos usem a internet sozinhos. Já instalei nos computadores o controle para pais, sobre o qual escrevi no post E-mail das crianças e sempre estou atenta e divulgando o que vejo sobre o tema, como o trabalho de Jada Pinkett Smith, que trabalha com crianças exploradas e no ano passado lançou um livro ( disponível para download em pdf) para orientar nossos filhos, The Great Tomato Adventure – a story about smart safety choices, que orienta as crianças sobre o mundo que as cerca. Faz parte da campanha de segurança infantil chamada “The power of parents” (O poder dos pais), lançada em 2006 pelo Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas.

Como mãe tenho várias preocupações, por exemplo, sempre vou conferir quem são os professores, peço informações (fui na academia que o professor de judô dava aulas para perguntar sobre ele para o sensei) e já tirei meu filho muito pequeno da natação porque achei que era “estranho” ter adultos manipulando o corpinho dele na piscina, a muitos metros de onde eu observava e, pior, com minha conivência e anuência. Como mãe eu indiretamente aprovo – ou não – a intimidade física do meu filho com outra pessoa quando falo para fazer aquela aula, que é bom para saúde, etc. Ao ver o caso da nadadora Joana Maranhão, me senti menos exagerada.

Mas será que devemos ser cada dia mais exagerados ou devemos arregaçar as mangas e ajudar as pessoas a passarem menos por este sofrimento. Os casos são familiares e, infelizmente, pesquisas comprovam que muitos pedófilos são crianças que foram vítimas na infância. Mas sempre há como reduzir isto com nossas ações. Na faculdade eu era voluntária do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua em Curitiba e entrevistei um grupo de crianças vítimas de prostituição infantil na tríplice fronteira, região de Foz do Iguaçu. O resultado foi uma matéria muito boa, que me rendeu um convite para emprego e passou a me tirar o sono e deixar atenta para este tipo de crime silencioso e tão comum. Devemos proteger nossos filhos em casa, mas igualmente devemos agir como cidadãos, usando os espaços e as armas que temos para reduzir o impacto social (e o efeito dominó que a pedofilia traz) pensando que nós e nossos descendentes só estaremos protegidos e felizes num mundo livre destas atrocidades. Não adianta só criarmos uma redoma para evitar a violência em nossa vida, precisamos trabalhar para não precisemos nos deparar com ela de forma cada dia mais descarada e descontrolada.

Advertisement

Indico:

Divulgue também: Central Nacional de Denúncias de Crimes Cibernéticos

P.S. Segundo o Dicionário Aurélio a pedofilia (também chamada de paedophilia erotica ou pedosexualidade) é a perversão sexual, considerado criminoso e combatido na maioria das sociedades, na qual a atração sexual de um indivíduo adulto está dirigida primariamente para crianças pré-púberes ou não. A palavra pedofilia vem do grego ?????????? < ???? (que significa “criança”) e ????? ( ‘amizade’; ‘afinidade’; ‘amor’, ‘afeição’, ‘atração’; ‘atração ou afinidade patológica por’; ‘tendência patológica’).

Você pode gostar também de ler:
Madame, da California Filmes, se tornou um filme especial: é o primeiro que estamos combinando
É de praxe ver listas pelas redes sociais de filmes e séries legais que estão
"Meus avós já estavam casados há mais de cinqüenta anos e continuavam jogando um jogo
Apaguei um update no meu perfil pessoal do Facebook nesta manhã. Era um link no
Neste ano perdi um relacionamento da vida toda e que só ao terminar me mostrou
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas