Contação de histórias


Todos sabem que a contação de histórias estimula o imaginário infantil e ajuda a razão a concretizar objetivos, numa transposição de imagens que escapam ao tempo cronológico. Os arte-educadores falam isso o tempo todo e eu já confirmei em casa, mas ainda me considero uma péssima contadora. Sou, no máximo, boa leitora. Daí a importância destes eventos para meus filhos ampliarem sua visão das histórias e da capacidade de interpretar textos. A narração de histórias proporciona ao público infantil a oportunidade de sentir e experimentar diferentes sensações e emoções muito particulares do imaginário de cada um. “A criança está inicialmente disponível e aberta a todas as possibilidades e é muito importante que se desenvolva essa disponibilidade original, essa atitude de liberdade criadora, para formar um cidadão livre, capaz de iniciativas, de invenção, de escolha pessoal, de resistência aos condicionamentos ambientes”, explica a narradora e educadora Vanessa Valente, do Grupo Prana. Criar, contar e ouvir histórias é um exercício imaginário, revela o real no irreal. “O ato de imaginar ajuda a razão a concretizar objetivos, numa transposição de imagens que escapam ao tempo cronológico, criando universos paralelos que preenchem nossas idéias e projeção de pensamentos“, acrescenta a educadora. Leia também:

Zemanta Pixie

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook