entretenimento / sustentabilidade

20111114-112312.jpg

Na manhã do segundo dia de Fórum Global Ambiental dois palestrantes chamaram a atenção por visões diferentes sobre produção e consumo. Frequentemente encarado como vilões dos problemas ambientais, os dois foram abordados como partes da solução por Darian Heyman e Jason Salfi. Para os empreendedores o que separa o sonhador do visionário é colocar a mão na massa.

Com a foto de Marthin Luther King ao fundo, Darian mostrou-o como um exemplo de um visionário. Ele é dono da “Cradle to cradle”, empresa de certificação de design sustentável. Mais do que ter um sonho, o ativista, que lutou pelos direitos dos negros nos Estados Unidos, trabalhou para que ele se tornasse real.

“O sonhador imagina, enquanto o visionário pensa nos passos para chegar lá. Inspirar não é o bastante, é preciso inspirar as pessoas a agirem, isso vai torna-las visionárias.”

Para ele é essencial ter isto em mente diante dos desafios ocasionados pelos problemas ambientais. Para ele precisamos de uma nova forma de pensar.

“O problema da mudança de pensamento é o medo. Toda mudança dá medo, e este não é um bom motivador. Estamos indo no caminho errado e temos que dar a volta.”

Darian acredita que o consumo e a produção não devem ser “demonizados”. O problema não é consumir ou produzir, mas como é feito este processo. Para isso ele citou mudanças no consumo de energia, no descarte de resíduos entre outros.

“Abundância de recursos não é o problema, mas sim o desperdício”.

Um ótimo exemplo da palestra de Darian, Jason Salfi, fundador da Comet Skateboards, foi o convidado seguinte a falar. Sua paixão pelo skate e sua preocupação ambiental o levou a fundar uma empresa de skates ecologicamente corretos.

“Eu tive uma ideia e resolvi tentar coloca-la em prática ao invés de apenas sonhar. Existem dois tipos de ciclos, o tecnológico e o biológico. Nossos skates tem componentes biológicos, são recicláveis, e a cada compra ainda ajudamos instituições.”

Para o skatetista-empresário o consumo consciente tem um grande poder de mudança.

Nossas escolhas podem incentivar novas práticas empresariais, tudo o que devemos fazer é saber a procedência do produto que estamos adquirindo.

“O poder que temos com apenas um dólar é enorme. Temos um efeito grande com nosso consumo, por isso vocês são parte da solução.”

Para finalizar ele ainda fez um apelo para que as ideias não morram por falta de tentativas.

“Se você tiver uma paixão coloque-a em prática. Eu comecei sem dinheiro, só com uma ideia e uma visão.”

Você pode gostar também de ler:
"Não há motivo para que São Paulo não vire uma cidade ‘bike friendly’ nos próximos
Estou "pagando" com atraso todas as minhas dívidas do Meme das Antigas... mas, como criador
Para ninguém sair do teatro municipal de Paulínia sem entender bem sua palestra, o diretor
A participação de hoje, que encerra os shows do SWU por aqui (brincadeira, ainda temos
Gostei muito de ouvir Fabio Feldman. Sua visão do que deve estar em foco no
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas