mobilidade

Quando eu era criança um cãozinho fofo se tornou sinônimo de amortecedores para carros. Quando a gente se referia à raça não raro falávamos o nome da empresa que usou o “garoto-propaganda” tão bem, humanizando uma parte que nem todo mundo sabe que é importante num carro, os amortecedores.

Confesso que demorei para me aperceber da importância deste equipamento. Foi quando mudei para São Paulo e comecei a dirigir mais (nestas ruas em que valetas são usadas com muita frequência para suportar as fortes chuvas) que notei como os amortecedores são importantes! (risos)

Os amortecedores podem assegurar a segurança e o conforto do motorista e dos ocupantes do veículo. Ficar atento a alguns cuidados básicos, como não exceder a carga máxima e fazer balanceamento e alinhamento de rodas, ajudam a preservar a vida útil desse componente da suspensão.

Claro que a segurança no trânsito depende da experiência, prática e da conscientização dos motoristas em relação à manutenção preventiva e condições de uso do veículo, mas a suspensão  ganha um destaque nisso porque seus componentes interferem apenas no bom desempenho do veículo, mas também envolve a segurança dos ocupantes.

“O sistema de suspensão proporciona estabilidade e garante a dirigibilidade do veículo e o conforto dos passageiros e motorista”.

Parte do sistema de suspensão, os amortecedores são um sistema composto por mola, batente, pivô, barra estabilizadora e bandeja. Sua função é absorver as irregularidades do solo – e por isso é relativamente fácil perceber os indícios de desgaste.

O que acontece se o amortecedor não está bom?

Primeiro você começar a sentir que o carro não está macio e confortável, começa a “pular”.  O amortecedor segura a mola e cuida do carro neste sentido. Mas a falta do amortecedor pode causar algo mais grave: se ele está ruim o motorista pode perder a direção do carro numa curva devido à falta de estabilidade.

Como vou saber?

Sinais como vibrações e ruídos na suspensão; balanço excessivo após freadas e arrancadas; perda da estabilidade em curvas e pistas ruins, um pular excessivo das rodas; redução do contato entre o pneu e solo e do controle da suspensão e deterioração prematuro dos pneus indicam que o amortecedor precisa ser revisado ou trocado.

Como evitar este desgaste?

Alguns cuidados básicos podem evitar desgaste prematuro do amortecedor: não exceder a carga máxima permitida, fazer alinhamento e balanceamento de rodas, não realizar alterações das características originais e utilizar peças de qualidade (e nunca, jamais usar amortecedores recondicionados hein!).

Quando preciso trocar?

É recomendável que a troca dos amortecedores seja feita por volta dos 40 mil km, mas dependendo das condições de uso e solo, essa média pode ser alterada. Após completar essa quilometragem, o ideal é fazer avaliações a cada 10 mil km ou quando o usuário notar mudança de comportamento no veículo.

Este post faz parte de uma série para pensarmos nos cuidados com nossos carros de forma preventiva e para o empoderamento feminino, de forma que não fiquemos à mercê dos mecânicos que inventam as “rebinbocas da parafuseta” quando precisamos de ajuda com o carro. Se mulher já dirige bonito, causa menos acidentes e por isso tem muitos descontos em serviços automotivos, por que não começar a cuidar bem do seu carro diariamente?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas