casa

como-escolher-a-geladeira-ideal-by-samegui

No dia das mães do ano passado eu ganhei dois presentes de mãe: um home teather (com entrada USB e compatível com formato Dvix) e um fogão. Mas no primeiro almoço com amigos em casa ouvi o seguinte comentário:

– Este fogão é presente de marido gourmet.

Verdade! Embora eu já tenha até considerado a possibilidade de ser restauranteur antes de cursar jornalismo, ao longo dos anos quem se tornou o rei da nossa cozinha foi o Gui. Eu ainda cozinho, as crianças gostam da minha comida com aquele carinho que o Anton Ego comia o Ratatouille da mamãe, mas eu sei que não é um banquete. 

Por conta desta nova concepção de família na qual estamos inseridos – e de mais este espaço para compartilharmos como casal – quando precisamos escolher algo novo para cozinha fazemos em parceria. E para quem tem na cozinha o coração da casa, há uma infinidade de detalhes para se considerar antes de escolher um equipamento. Estamos na fase de escolher uma nova geladeira. A atual, que compramos quando voltamos do Japão, é boa, mas tem uma falha: só tem frost free no refrigerador. Quer dizer que o freezer ainda precisa ser descongelado naquele sistema antigo de deixar aberto e esperar derreter. E assim não dá. 

O frost free reduz muito o trabalho porque o refrigerador não precisa descongelar nunca. E ele não é a única sigla diferente neste novo universo de geladeiras que estou descobrindo ao escolher a nova daqui de casa: a smart fresh technology garante melhor circulação de ar gelado no ambiente interno e resulta uma performance melhor do equipamento, além de preservar a qualidade dos alimentos. 

Depois que compramos esta, há quase uma década, surgiram muitas novidades no mercado de refrigeradores. Algumas delas são um charme e um convite para que os homens se apossem delas, como os espaços para gelar as latinhas de cerveja, dispenser de água e gelo e, mais legal de todos, o compartimento de resfriamento rápido para bebidas – e as apreciadoras de vinho branco como eu agradecem. 

E para agradar a todos, estou vendo outros detalhes. Quando comprei minha primeira geladeira, a de recém-casados, era uma simples, de tamanho médio. Nada demais e sempre nos atendeu bem – aliás, está na casa da minha cunhada, que casou quando fui pro exterior e herdou a peça com pouco uso. Servia perfeitamente a um casal sem filhos. Com os bebês, optamos por um refrigerador duplex com congelador na parte superior, escolhemos boas gavetas de iogurtes, espaço no freezer para sorvetes, pensei até se a largura dela permitiria guardar os bolos de aniversário. E foi bom para tudo isso.

Agora estamos numa fase em que uma side-by-side vai nos atender melhor. Congelador grande, bem organizado e que esteja acessível a todos da família é uma necessidade – Giorgio ainda tem seis anos, mas adora ajudar na cozinha, quer ser gourmet. Também queremos uma prateleira na porta para frascos de mais de 2 litros, compartimentos com nível de umidade ajustável e uma gaveta para lanches ou compartimento fechado com temperatura controlada para carnes. 

Será que vamos encontrar o que queremos? Pelo visto sim, já estou de olho em três refrigeradores na Fast Shop. Não é só porque eles estão com uma promoção bem legal em mídias sociais (com ofertas anunciadas por twitter), mas principalmente porque eles me ganharam como cliente quando comprei meu primeiro notebook lá. Os vendedores são muito bem treinados e sabem orientar a compra, inclusive evitando que façamos negócios ruins – gastando muito e comprando coisas que não vamos nem usar – e são pacientes ao extremo. Além disso, vamos combinar, as lojas físicas costumam ter os aparelhos mais lindos, né?

P.S. Meus pais também já trocaram parte da cozinha escolhendo na loja física e comprando pela internet depois, super prático. E eles nem sabiam das promoções que são exclusivas para internet! Pena que eles não sabem que as melhores ofertas estão sendo divulgadas via twitter no @Fast_shop.

Este post é publieditorial. 

artigopatrocinado

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas