Como as mídias sociais chegam até cada um de nós #socialgoodbr

 

O segundo dia do seminário Social Good Brasil nos mostrou como as mídias sociais mudam a vida de cada um de nós. Sim, as redes sociais nos trazem para perto amigos antigos, ex-colegas de escola ou colaboradores de trabalho, novos amores e parentes perdidos, notícias em tempo real e o contato com celebridades distantes.

Mas, acima disso, eles nos trazem pessoas com as quais compartilhamos sonhos, ideais e objetivos de vida. Para alguns pode ser a turma que vê o mesmo seriado ou novela, para outros é uma vontade de fazer diferença no mundo. Alguns destes inquietos sonhadores estavam reunidos ontem no palco e na plateia do Social Good Brasil.

A tarde começou com uma rápida visita de Isadora Faber, a menina que inspira jovens do Brasil todo a criarem Diários de Classe e exercitarem a cidadania acompanhando e relatando no Facebook a realidade de suas escolas, que contou um pouco de seu cotidiano.

A seguir quem falou foi uma figura que se colocou longe dos holofotes, mas na verdade é um dos grandes incentivadores deste movimento que chegou com força ao Brasil em 2012 e a cada dia ganha mais força no mundo, o Social Good, baseado no conceito de Bem Social e de usar as tecnologias de conectividade para identificar e resolver problemas sociais: Aaron Sherinian, vice-presidente de comunicação e relações públicas da UN Foundation.

Foto de Beth Kanter (@kanter)

“As mídias sociais estão apresentando uma nova face da filantropia global e nós estamos escrevendo a história mundial por meio dessas mídias”. 

Apresentando casos de mães e de adolescentes, ele conduziu uma conversa sobre uma teoria simpática (e linda) que tem: a de que seu filho pequeno viverá num mundo em que se fala português do Brasil. Citando também a diversidade e capacidade de adaptação do povo indiano, Aaron defende que o empoderamento de pessoas comuns, como as que podemos ver no vídeo abaixo (de uma campanha da UN chamada “Global Good Challenge”), é a chave para estas mudanças positivas que vemos no mundo atual e para o que alcançaremos no futuro próximo.

Na primeira noite do evento ele gentilmente veio conversar comigo (o que foi uma das maiores honrarias da minha vida!) porque sabia da minha atuação como mãe blogueira (no @maecomfilhos e aqui no @avidaquer) e lembrava da minha participação no primeiro Social Media Day promovido pela Mashable há dois anos. E falou entusiasmado de um dos cases que apresentou ontem em sua rápida fala no seminário: o projeto Shot@Life, que educa, conecta e empodera pessoas a realizarem campanhas de vacinação infantil em países em desenvolvimento. O que para nós parece pouco (afinal, temos excelente cobertura de vacinação e somos um país que já erradicou as mais graves doenças infantis contagiosas), tem enorme significado para outros locais do planeta.

Nesta linha seguiram-se as apresentações da tarde, que nos fizeram lembrar que Conectados transformamos. Simples assim. Vale conhecer as “Histórias Social Good no Brasil”, contadas ontem por Thais Barros (Games for Change Latin America), Rodrigo Bandeira (Cidade Democrática), Carla Belitardo (Connect to learn), Edgard Morato (Saútil), Rodrigo da Cunha (Rio+Social eTEDx  Latin America) e Fernanda Bornhausen Sá (Portal Voluntários Online), entender “O poder da mudança na ponta dos dedos”com Rafael Ziggy (Agência Africa), Adelize de Oliveira (Padrinho Nota 10), Gregório Marin Jr. (Mowa),  Daniella Dolme (Um Teto Para Meu País) e Lucas Pretti (Change.org), descobrir como captar recursos para ações sociais com Marcelo Estraviz, da Associação Brasileira de Captadores de Recursos, Hernán Efrón apresentou um vídeo da empresa Engage, responsável por vários projetos como a plataforma de crowdfunding, Catarse, Amanda Fazano, do Greenpeace Brasil, com o case Liga das Florestas.

 

Gostou? Continue com a gente no terceiro e último dia do seminário que hoje traz ideias de Inovação nos negócios, com Peter Sims (autor de Little Bets) como palestrante principal ao final do dia. Veja a programação completa aqui e acompanhe tudo por streaming e nas redes sociais Twitter (@socialgoodbr e #socialgoodbr) e Facebook.
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook