destaque / relacionamentos

Na sexta-feira, teoricamente o último dia da Blogagem Coletiva Histórias de vida que inspiram, cheguei do trabalho e encontrei na minha caixa postal dois presentes, relatos inspirados de duas leitoras muito queridas do blog, Sônia Eulálio e Marta Souza.

Posto abaixo o relato de Sônia!

Inspirada pela Samegui, compartilharei com vocês meu exemplo de vida. A história de uma pessoa iluminada que deixou muita força e perseverança por onde passou.

20130909-210813.jpg

Meu pai, Francisco, nasceu no litoral do Piauí em 1.921, foi pescador até chegar a época de se alistar no exército. Convocado, mudou-se para Teresina sem estudo e sem dinheiro, mas com muita vontade e garra de vencer. Lembro-me dele contar que só tinha um luxo: sábado à noite vestir seu único terno branco de linho e tomar uma coalhada na praça da cidade. Estudava nas horas de folga e assim que casou-se com minha mãe vieram para São Paulo, com muita dificuldade e simplicidade.

Aqui em São Paulo foi caixeiro viajante, teve uma fabriqueta de bonecas, foi vendedor em uma empresa de óleos vegetais na qual foi despedido pois o proprietário alegou que ele morreria de fome e não servia para o trabalho. Nisso resolveu abrir seu próprio escritório de representações em 1950 (ironia, de óleos vegetais), o qual virou uma empresa familiar onde também comecei à trabalhar em 1980 com 15 anos.

Ele com 50 anos de idade formou-se em Direito para defender as causas jurídicas dos próprios clientes.

Pois é, um menino humilde, sem estudo, sem oportunidades, mas com tanta força de vontade que venceu na vida com muita luta.

Quem trabalha no comércio sabe que são muitos altos e baixos, enfrentamos várias crises, mudanças de planos econômicos, adequações de mercado, afinal tantos anos de empresa, mas a lembrança é dele sempre de terno, otimista, procurando novas alternativas, novidades e tudo de mais moderno para o negócio, se hoje estivesse vivo seria o “rei da inovação”..rs
Nada o abalava. Não bebia. Não fumava. Procurava ter uma vida regrada, uma pessoa bem moderna para o tempo em que vivia. Antes de falecer, há 5 anos, ainda escreveu um livro sobre sua cidade natal, Morro da Mariana, localizada no Delta do Parnaíba/PI, pela qual nutria uma paixão fora do comum.

O que ele me deixou? Um guia, uma luz para as horas de dificuldades, tê-lo como inspiração e exemplo.

20130909-172401.jpg

Seus conselhos?
– Hora do almoço é sagrada.
– Precisa de alguma coisa no banco? Então vista-se bem, os mais bem vestidos e de melhor aparência são mais bem tratados
– Chame seu negócio de escritórinho, fabriquinha, ou qualquer outro “inha” que assim será.
– Sexta-feira a partir das 18 h não se abre mais correspondência, banco agora só segunda-feira.
– O que eu tenho divido com aquele que mais precisar no momento (filhos).
– Miséria não se chora e nem divulga, ninguém precisa saber das suas dificuldades.
– Participe de tudo o que puder para mostrar seu trabalho, sua cara, esteja em evidência para vencer.
– Não desanime nunca.

Ahh, pai se você estivesse aqui…Fui privilegiada pela sua companhia diária por trabalharmos juntos 25 anos, no mínimo.

Pai exemplar sempre disposto a servir no momento em que precisássemos.

A última vez que recorri a ele uns 10 anos atrás, pois já começava a cair pela doença, eu chorava no telefone e falava:

– E agora pai?
– Agora? Começar de novo! Levanta a cabeça! Quer que eu vá aí ficar uns dois meses com você? Eu vou..

Digam se este é ou não uma história de vida imensamente inspiradora de troca de valores entre gerações? Sou empreendedora e estudei na melhor escola possível e com o melhor professor que alguém poderia ter.

Pai foi uma honra ser sua filha.
Obrigada! Obrigada! Obrigada!

Sonia Eulálio (@soeulalio) é mãe do Gabriel e da Amanda e esposa do Ronilson. Formada em Empreendedorismo e Inovação Digital em Redes Sociais.
Se apresenta como empreendedora nata, apaixonada por mídias digitais, antenada às oportunidades, ver onde não se enxerga é seu lema.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas