Começando um blog

Minha querida amiga Carol Kroetz me contou há pouco que criou um blog. Bacharel em direito, ela descobriu que vocação é ser professora de inglês, área na qual se especializa. E o blog Enjoy the journey é o sobre o tema.

Na hora pensei em algumas dicas para ela que está começando e decidi postar sobre elas aqui. Não pretendo ser um guia de blogs, mas sim ajudar ela e a Viviane Weingartner, outra amiga offline lá de Curitiba que está começando o blog Recreio Cultural. Vivi é outra advogada (com mestrado em Direito Internacional e ex-professora de Direito em Ponta Grossa) que notou que sua aptidão era outra. Há quase um ano ela largou tudo e decidiu ser escritora. Deu certo, já tem dois livros publicados e outros a caminho!

O que eu diria a elas (e a quem está começando) é

  1. Façam um rss feed para o blog. É um serviço simples, prático e que permite que as suas postagens alcancem o leitor, mesmo que ele não venha até o blog. É fácil, basta ir ao Feedburner, criar um usuário e “queimar” o novo feed. Depois, os widgets são feitos com facilidade no próprio site e quem quiser pode incluir um serviço de envio de newsletter.
  2. Inscrevam-se no blogblogs. o diretório de blogs criado por Manoel Lemos ainda é o maior e mais relevante do Brasil e se tornou uma referência em blogs. Ver o widgetzinho (geralmente verdinho) na sidebar indica que a pessoa está envolvida com mídia social – é um sinal de blogueiro, como eu comentei com ele na última vez que conversamos. Foi uma sacada incrível. E o blogblogs está se aprimorando sem parar, o que garante um serviço ótimo, que lhe trará leitores com afinidades e indicará outros blogs que podem lhe interessar.
  3. Se você quiser proteger seu conteúdo, opte por uma licença da Creative Commons. Falei sobre ela aqui e indico-a para quem tem preocupações de direitos autorais e afins. Faça também inscrição no Copy Alerts, que avisa quando várias palavras foram copiadas do seu conteúdo.
  4. Para quem tem boa vontade e interesse em divulgar seu material, inscreva-se em serviços de crowdsourcing que divulgam sua notícia numa rede. Eu indicaria o Rec6 e o Dihitt (este último tem um widget que insere automaticamente as postagens no site e tem uma rede de amigos e comunidade do seu blog, algumas funcionalidades que são bem legais e novas). Tenho bom retorno também do Gostei! e picos de visitação quando consigo que aprovem notícias minhas no Ueba e no Ocioso. 😉
  5. Mantenha uma lista de links e além de visitar os blogs que são do seu interesse, comente, indique, replique (com link e créditos, claro), porque blog é uma conversa. Esta é a diferença de um blog para um site, a interatividade e sobretudo a importância que esta interação tem.

Tudo gratuito o que indiquei é gratuito e não tomará muito do seu tempo, mas poderá tornar sua experiência nos blogs muito mais rica!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook