destaque / entretenimento

São Paulo 18-08-2015 Cerimônia de Reinauguração do Teatro Municipal Arthur Azevedo Exmo. Sr. FERNANDO HADDAD, Prefeito de São Paulo, e da Sra. Vice-Prefeita NADIA CAMPEÃO, Srs. NABIL BONDUKI, Secretário Municipal de Cultura, ROBERTO GARIBE, Secretário Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras e EVANDO REIS, Subprefeito da Mooca. Foto Cesar Ogata / SECOM

Parte da nossa história em São Paulo, o Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo foi palco da primeira apresentação de final de ano do meu filho, da formatura de outro, de passeios para ver peças infantis queridas (como o Menino e o Burrinho) e depois… fechou!

Foram anos passando na frente e sonhando com a prometida reforma e o que ela poderia nos trazer!

Admito, porém, que nem nos meus sonhos mais fantasiosos, imaginei que se tornaria um centro de estudos e de promoção de um dos estilos musicais mais lindos, mais brasileiros e, por que não dizer, mais paulistanos, o chorinho.

<3

CLUBEDOCHORO2_1439508937

O que nos animou foi poder ouvir Chorinho de qualidade aqui perto de casa, pois a secretaria de cultura garante que o resultado da modernização técnica dará “um salto de qualidade na sua programação cultural, com show e rodas de choro e atividades regulares de formação relacionadas a esse gênero musical”.
A curadoria musical está sendo elaborada por uma comissão formada pelos próprios chorões, esses aí da foto, com uma programação especial do Choro que dividirá o palco também com outros estilos musicais e formas de arte como a dança e o teatro, oferecendo ao público uma certa pluralidade, coisa meio rara aqui no bairro.
E, acima disso, estamos felizes pela possibilidade de que nossos filhos possam aprender.
Além de atrações artísticas, o Teatro receberá oficinas e atividades de formação em Choro, que poderão ser realizadas também no amplo prédio anexo, construído durante essa obra para abrigar a área administrativa e as salas multiuso para ensaios e apresentações mais intimistas.
(vou lá saber detalhes das aulas e farei update!)

E como o Choro chegou à Mooca?

Não era coisa da Benedito Calixto?

Segundo a história oficial, a proposta de resgatar a ideia do clube partiu de uma mobilização de artistas dedicados a esse gênero musical. Eles queriam retomar a tradição que culminou, na década de 1980, na criação do Clube do Choro, localizado na Rua João Moura, em Pinheiros. O espaço reunia centenas de músicos e admiradores do estilo.
Izaias e seus chorões o grupo de Choro mais antigo em atividade em São Paulo

Nos primeiros shows vi o teatro cheio para ouvir ícones do Choro: o grupo Izaías e Seus Chorões, o mais antigo em atividade em São Paulo, liderado pelo Mestre Izaías, com canções autorais e de compositores paulistas de várias épocas.

André Parisi Quinteto com um repertório próprio de valsas e choros lentos e modernos, com a participação do percussionista convidado Everton Reis, André Kurchal na percussão, Gabriel Deodato Deodato no violão 7, Angela Coltri na flauta, Caio Vinicius de Souza no cavaco e bandolim e Andre Parisi na clarineta e composições.

andre parisi quinteto choro

Vejam no vídeo abaixo que gostoso o estilo deles. A Roda de choro é composição de André Parisi e foi gravada e filmada pelo quinteto no estúdio 185, em 2011.

A Bandinha Popular homenageia a compositora paulista Magdalena Pesce Vitale, conhecida como Lina Pesce, conhecida por dar nomes de pássaros às suas obras, como “Bem te vi atrevido”.

A compositora e musicista brasileira, filha do maestro italiano Giacomo Pesce, viveu entre 1913 e 1995, e ficou conhecida em 1942, quando o seu choro “Bem-te-vi atrevido”, então famoso no Brasil, foi incluído na trilha sonora de um filme de Hollywood, “Dupla Ilusão” (“Twice Blessed”, no título original).

O primeiro mês do “velho novo” teatro da Mooca tem clássicos, mas de outros estilos musicais: Angela Maria e Cauby Peixoto, o cantor e compositor Moraes Moreira e Filipe Catto, homenageando Cássia Eller.
Parece promissor, né?
São Paulo 18-08-2015 Cerimônia de Reinauguração do Teatro Municipal Arthur Azevedo Exmo. Sr. FERNANDO HADDAD, Prefeito de São Paulo, e da Sra. Vice-Prefeita NADIA CAMPEÃO, Srs. NABIL BONDUKI, Secretário Municipal de Cultura, ROBERTO GARIBE, Secretário Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras e EVANDO REIS, Subprefeito da Mooca. Foto Cesar Ogata / SECOM

O teatro:

O projeto original do arquiteto Roberto Tibau e é tombado pelo Conpresp como exemplo de arquitetura modernista em São Paulo. Agora, reformado e modernizado com projeto arquiteta Silvana Santopaolo, do Gerenciamento Técnico de Obras da Secretaria Municipal de Cultura, ele passa a contar com recursos técnicos contemporâneos para as companhias e mais conforto para o público, colocando-o no mesmo patamar das principais salas da cidade.

Com capacidade total de 349 lugares, incluindo 16 especiais, a obra contemplou a requalificação da caixa de palco com a instalação de recursos modernos de cenotecnia para teatro e sistema de projeção; nova cabine de controle de som e luz; melhoria acústica; ar-condicionado com sistemas de controle independentes para palco e plateia; novas instalações elétricas e hidráulicas e novas poltronas na plateia. Além disso, foi construído um prédio anexo com cobertura impermeabilizada e sombreamento, que garante maior conforto térmico interno e maior vida útil para a impermeabilização.

2013-09-05 Visita a reforma do Teatro Arthur de Azevedo na região da Móoca Parte Externa do Teatro FOTO CESAR OGATA / SECOM

A área reformada total é de 1454 metros quadrados e com o prédio anexo a área construída foi ampliada em mais 500 metros quadrados. O terreno total tem 3 mil metros quadrados, considerando ainda os jardins e o estacionamento com 26 vagas, sendo 5 exclusivas para pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida.
Nesta reforma, o prédio passou a ter acessibilidade total para público e atores. Além das adaptações internas (camarim acessível, sanitários acessíveis, etc.) foi prevista a instalação de plataforma para pessoa com deficiência e mobilidade reduzida entre o estacionamento e o acesso principal ao saguão.
🙂
Teatro Arthur Azevedo fica na Avenida Paes de Barros, Mooca, São Paulo, entre os metrôs Bresser-Mooca e Vila Prudente, e a estação de trem Mooca.

Estatísticas