Detalhes e outras inesquecíveis na coletânea Brasileiros – uma celebração aos clássicos da música nacional

Na casa onde Pulsa a Nova Música, um projeto como este pode soar irônico para muitas pessoas, afinal, “clássicos não são músicas velhas conhecidas por todo mundo há muito tempo”?

Tudo começou com esta versão dos meus conterrâneos da Banda Sabonetes para ‘Detalhes’ do Rei Roberto, com a notícia de que ela está na coletânea de novos artistas para clássicos da músical brasileira.

A canção do Rei, interpretada nesta homenagem por Sabonetes com participação especial de Pedro Pelotas (Cachorro Grande), me permitiu uma viagem aos anos 1970/80, cheiro de casa de vó, de finais de semana em família e tudo de bom que a gente chama de lar.

Achei lindo descobrir na coletânea Brasileiros uma celebração aos clássicos da música nacional, lançada virtualmente neste dia tão especial, 07 de setembro de 2012, 190 anos da Independência do Brasil. Especial, meigo, querido e uma ode ao nosso país, ao lugar ao qual todos chamamos de lar.

Outras músicas, no mesmo ritmo da minha infância (tão diferente do jeito alucinado da época dos meus filhos), está nas outras canções que posto abaixo e, observem, tem um botão “download” gratuito do arquivo mp3 de cada uma delas.

😉

Amanheceu, peguei a viola, botei na sacola e fui viajar…

 

Moro em Jaçanã, se eu perder este trem…

Prepare o seu coração, pras coisas que eu vou contar…

Solto a voz nas estradas, já não quero parar…

E aí, você também viajou no Túnel do Tempo?

Eu gostei muito de ouvir jovens revivendo clássicos e contando porque eles se ganharam este título. Assim como acho justo ouvir clássicos de Frank Sinatra e Nat King Cole sendo cantados em apresentações de crooners, quero ouvir as músicas do meu país sendo valorizadas e alcançarem o status de patrimônio cultural.

Gostei da “defesa” do grupo:

“Quando fazemos a afirmação, “clássicos, são clássicos…”, parece que colocamos certas músicas num patamar elevado. Mas qual é o processo que faz uma composição ganhar a densidade mitológica que identificamos nas músicas clássicas da cultura nacional? Responder esta pergunta é impossível. Mas podemos afirmar com segurança, para uma música se tornar um clássico, ela necessariamente foi antes um hino de uma geração de pessoas. Um hino que comunicava um desejo político, um estilo de vida, ou de de alguma maneira bem simples, representava esperança, beleza e alegria.”

E quem pode discutir a atemporalidade de uma música como Alegria, Alegria (minha segunda favorita nesta coletânea)?

P.S. E para quem curtiu, os meninos da banda estão no MudaRock com download gratuito de uma canção do grande parceiro de Roberto, Erasmo Carlos.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook