Semana @maecomfilhos: @ciadasmaes e o empreededorismo materno

[update]
A ganhadora do mimo é uma verdadeira empreendedora e uma cidadã generosa, Débora Domingues por seu comentário postado em 09/05/2012 às 4:03 pm.
Obrigada por sua companhia constante no @avidaquer!
[/update]

“Era uma vez uma nova mãe e seu bebê. E na hora da volta da licença-maternidade, essa mãe se pegou pensando em como seria bom se ela fosse dona dos próprios horários para estar mais perto do filho. Eis que ela decide deixar o emprego e investir em um negócio próprio. Essa história pareceu familiar? Pois é mesmo. Cada vez mais mulheres optam por uma alternativa que permita mais tempo livre com a família.”
Crescer

Para abrir a Semana @MaeComFilhos escolhi uma imagem que raramente surge quando se fala de mãe nesta semana da “Deusa doméstica e Rainha do Lar“: a mãe empreeendedora. Ela não é a que focou tanto na carreira que voltou a trabalhar antes da licença-maternidade acabar, mas também não se contentou em ficar em casa sendo “apenas mãe”. Juntou seus conhecimentos anteriores e posteriores à experiência de ter bebês e recriou não só sua vida pessoal, mas também sua vida profissional. E, no caso da personagem de hoje, uma mãe que muda sua história profissional (muitas vezes para ter mais tempo de qualidade com os filhos), é também alguém que acaba mudando muitas vidas no seu entorno, seja ele físico ou virtual. Os negócios que criamos são muitas vezes “de nicho”, exigindo árduo trabalho, mas que traz benefícios para muitas outras mulheres direta ou indiretamente, como bem pontuou a entrevistada de hoje no nosso papo online.

daniela buono cia das maes
Foto do acervo pessoal de Daniela Buono, proibida a reprodução.

Conheço pela internet o trabalho de Daniela Buono há alguns anos e tentando lembrar creio que não saberia precisar uma data. Mas, quando finalmente “desvirtualizamos” o contato num café da manhã em abril de 2012, eu percebi que de certa forma vivemos muitas coisas juntas, ao mesmo tempo, com uma intensidade parecida. Dani é jornalista, mãe da #aos7 Clara (2004) e da #aos4 Bebel (2008) e está envolvida com grupos de mães na internet desde 2004, época da sua primeira gravidez.

Nem toda mãe blogueira gosta de corujar na web e desabafar nos blogs…

“Comecei como mãe listeira” (dos grupos por e-mail) e depois virei mãe blogueira, mas sempre teve um aproach diferente, “nunca foi muito confessional porque não gosto muito de falar da minha vida pessoal, por outro lado sou uma mãe super engajada em grandes discussões ligadas à maternidade: gravidez, parto, amamentação, educação, alimentação, consumismo, papel da maternidade no brasil e no mundo, mães empreendedoras. Depois do meu primeiro parto, que foi natural hospitalar e muito inspirador, ajudei a fundar a Rede Parto do Princípio. depois da amamentação da Bebel, que foi bem complicada e conturbada, realizei o vídeo educativo Amamentação sem Mistério junto com o GAMA. quando veio o conflito com o mercado de trabalho criei a Cia das Mães… enfim, a maternidade mobiliza quase 100% a minha vida. Adooooro tudo o que diz respeito à maternidade no mundo contemporâneo! muito, muito!”

E eu tive que perguntar para ela, quando pensei neste perfil para o @avidaquer, como foi este caminho de mãe blogueira a empresária da web. Ela contou que quando se viu com duas filhas pequenas, uma casa para administrar e jornadas intermináveis de trabalho como diretora/roteirista de vídeo, resolveu tomar as rédeas davida porque se não seria atropelada… acabaria doente e infeliz.

(quem nunca?)

“Trabalhar em casa passou a ser condição básica nos primeiros anos de vida das minhas filhas e comecei a perseguir este ideal, mas logo percebi que precisaria mudar de área porque vídeo e TV exigem trabalho in loco, não dá pra ser remoto, impossível. Saí em busca de alternativas e descobri um mundo de mães na mesma situação que eu, que maravilha! Daí veio a inspiração completa para a @ciadasmães: sempre fui engajada, sempre gostei de articular grupos/coletivos e com a internet eu poderia conectar um mundo de mães sem sair de perto das minhas filhas. Pode parecer o trabalho perfeito, mas é muito completo articular uma rede, ainda mais de mães!
Falo com muita gente, escrevo e-mails e comentários sem parar, enfrento grandes desafios nas parcerias comerciais porque trabalho com pessoas que, como eu, estão aprendendo uma nova atividade… as mães empreendedoras tem muita criatividade, garra e determinação, mas enfrentam muitas adversidades por despreparo, falta de recursos e excesso de trabalho.

E uma pergunta que sempre me vêm à mente quando falo de blogs com uma pegada mais pessoal e ao mesmo tempo diferente: como a família reage e é impactada por seu trabalho?

Dani foi enfática ao contar do apoio que recebe:

“Minhas filhas sentem orgulho da minha atividade e se envolvem sempre. Dizem que querem trabalhar na @ciadasmães quando crescerem. Delícia! Não temos debates ainda com elas, mas com o meu marido tenho sempre muitas conversas. Ele é 100% meu parceiro e sempre apoiou todas as minhas iniciativas, inclusive na época em que fui voluntária da Parto do Princípio. O fato da empresa ser um projeto complexo, que ainda não dá retorno e projeta resultados mais pra frente traz um pouco de desconforto porque estávamos acostumados a viver com a receita dos dois e agora tivemos que puxar o freio e economizar.”

E qual o objetivo de um projeto como o @ciadasmaes?

“Eu acredito que as mulheres podem melhorar muito o mundo neste século!
Quero que as questões femininas conquistem mais espaço nas discussões da sociedade e que a maternidade tenha maior valor social porque mães mais conscientes, valorizadas, respeitadas e poderosas são o início de um futuro mais humanizado e bacana para todos nós.
A @ciadasmães pretende construir uma rede sólida no nicho das mães. Estamos sensibilizando e reunindo mães que pensam, vivem e trabalham com maternidade (dentro e fora de casa).

Queremos proporcionar a troca de ideias e de riquezas entre as mulheres que são mães: de um lado temos as criam, escrevem, fabricam, de outro as que articulam, espalham as mensagens e vendem coisas, e de outro as que lêem, compram, testam, usam, devolvem feedbacks.”

Eu corroboro a ideia final da Dani: “Compartilhar, trocar e doar são princípios e valores femininos, capazes de mudar o mundo. Acreditamos neles e no poder das redes femininas!” Amanhã vamos saber mais disso também na entrevista com Natércia Tiba, passem aqui para ler!

😉

Siga a entrevistada nas redes sociais:
blog | fanpage | twitter

E o mimo de hoje…

Um kit de jogo americano com porta-copos e um caderno (De receitas ou do seu novo negócio? Do que quiser!) que ganhei da marca Confetti para os leitores do blog. Como a @ciadasmaes valoriza as iniciativas femininas, sinto que os dois projetos casam muito! E, vejam que perfeito, os produtos são feitos com chapas TERA® (material 100% reciclado pós-consumo, proveniente da reciclagem de embalagens tipo longa-vida de leite e sucos Tetra Pak®). Além de elegantes, mega resistentes e dentro do conceito de reaproveitamento de materiais que tanto defendo aqui no @avidaquer. E não é sorteio: vamos ler os comentários e escolher um que nos toque ou seja mais representativo desta mãe empreeendedora que valorizamos tanto.

😉

[update]

Leia também os outros posts da Semana @maecomfilhos 2012 no @avidaquer:

Empreendedorismo materno e @ciadasmaes 

De Seja Feliz Meu Filho a Mulher Sem Script, entrevista com @natercia_tiba

Uma rede para reunir as mães que nascem quando chega um bebê (entrevista com @tatianapassagem do @redemulheremae)

“Antes de ser mãe, eu nunca…” (ou O que eu realmente queria de Dia das Mães)

A gente tem mesmo muito a aprender com as crianças sobre ser feliz!

Conversa com as mães do @mamatraca 

 [/update]
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook