Cerâmica japonesa

Estou lendo sobre o padrão estético e como ele pode ser incutido, forçado e imposto em nosso inconsciente no livro A beleza impossível – Mulher, mídia e consumo (de Raquel Moreno, editora Ágora) – sobre o qual falarei breve, pois é excelente! Ao ver esta chamada para a exposição da ceramista Kimi Nii , que minha amiga Renata me enviou por e-mail, pensei no quanto no design, na moda, nas artes e mesmo nos objetos domésticos somos influenciados por uma visão externa. Já foi eurocentrica, hoje é estadunidense.

A cerâmica japonesa que Nii faz não cabe nestes esteriótipos. Não pode ser chamada de "china", sinônimo em inglês para louça, nem tampouco lembra a louca inglesa tradicional, que nos vêm à mente no five o’clock tea com mocinhas à la Jane Austen. Ela vai além, na idéia, na concepção e sobretudo na beleza.

Veja esta Garrafa Reversa, uma das criações dela, que ilustra este post. Não é por acaso que esta exposição é uma das que encerram o extenso calendário de iniciativas em comemoração ao centenário da Imigração Japonesa no Brasil. Aberta ao público no hotel InterContinental São Paulo a partir de hoje, a exposição de cerâmicas da renomada artista plástica japonesa mostra um design novo e antigo, mas sobretudo diferente do que se estabeleceu como padrão de beleza aqui.

Kimi Nii nasceu em Hiroshima, no Japão, e vive no Brasil desde os nove anos de idade, onde se dedica à cerâmica de alta temperatura, produzindo utilitários e esculturas. A artista já teve seu trabalho exposto em São Paulo, Santa Catarina, Bruxelas e Tokio e é reverenciada por nomes como Tomie Othake, Miguel Chaia Antônio Gonçalves Filho, Mônica Filgueiras e Olívia Tavares de Araújo.

Nesta exposição a artista mostrará seus utilitários famosos pelas linhas retas e formas geométricas como o bule de tampa quadrada, a garrafa reversa e o cilindro cesta, além de vasos com inspiração na natureza como o vaso bromélia, o labareda de fogo e o asa. Seus trabalhos podem também ser apreciados no Tarsila Sushi Bar, cuja louça é toda de autoria da ceramista.

Serviço:

  • Exposição da ceramista Kimi Nii
  • Intercontinental São Paulo
  • De 8 a 22 de junho de 2008
  • Horário: 24h
  • Endereço: Alameda Santos, 1.123 – Cerqueira César
  • Entrada franca

P.S. Para quem quer aproveitar as principais exposições japonesas aqui, reuni as dicas aqui Cores japonesas em São Paulo.

    Você pode gostar também de ler:
    The following two tabs change content below.
    Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.