Casas com alma

“Muitas vezes pensamos que para ter uma casa agradável é preciso gastar muito com materiais e fazer um grande esforço. Nem sempre o luxo e o conforto de uma casa têm relação com o tamanho e o tipo de materiais. O verdadeiro luxo consiste em viver numa casa que se adapte perfeitamente aos hábitos e modo de vida de quem a habite.”
Ecocasa Portuguesa 

Crédito da imagem: Landscape with house in the woods in Saint Thomas, por Camille Pissarro.

Estou no meio de uma pequena reforma em casa para receber a Manu, que nasce no final de abril. Tenho 15 semanas para organizar os espaços e deixar tudo organizado para comportar três crianças onde antes viviam dois… no turbilhão de ideias e de planos, lembrei de dois textos que li recentemente na fanpage Ecocasa Portuguesa. O grande mantra para mim é o do excerto que abre o post:

O verdadeiro luxo consiste em viver numa casa que se adapte perfeitamente aos hábitos e modo de vida de quem a habite

 Mas a famosa receita de casa, de um texto de Lya Luft, também tem um grande valor e com prazer compartilho com vocês neste começo de ano, para que possamos pensar no que realmente importa e deixar de lado parte dos sonhos que acabamos sonhando por conta da mídia, dos outros, de coisas que não são de fato tão importantes e acabamos pensando que podemos querer ter.

Receita de Casa

Uma casa deve ter varandas para sonhar,
cantos confortáveis para chorar,
salas bonitas para os amigos bem receber,
cantos para os segredos desabafar,
para as confidências, e para o bem amar.

Uma casa precisa um ninho ser,
pois o amor precisa de espaço pra crescer,
de alguns empurrões pra saltar e voar,
muita liberdade para querer ficar,
alguns espaços para conceber e procriar,
jardins para a alegria plantar.

Uma casa precisa de muito amor,
cuidados para não ter medo de alguém partir,
um pouco de ciúmes pra proteger,
amizade para o companheirismo perdurar,
o dom de sempre surpreender,
e enfeitiçar sempre para durar.

Uma casa precisa ser um bom e doce lar,
com muita cumplicidade a esbanjar,
união e somatório pra ter sempre o que dar,
família grande pra ter a vida sempre a se doar,
um grande amor – lógico – pra nos realizar.”

 

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook