cultura web / sustentabilidade

No sábado estava no Parque do Ibirapuera e nosso carro foi roubado na área de Zona Azul, o que me deixou a pé por uns dias – até a burocracia do seguro me reembolsar para eu comprar um novo carro. Por conta disto, nesta semana estou revendo meus conceitos sobre transporte urbano. Depois de anos como usuária fiel de transporte coletivo, em 2008 me rendi ao carro como a opção mais rápida para me transportar de uma reunião (entrevista ou evento) a outra, reduzindo muito o uso do metrô ou ônibus e facilitando o transporte da família toda (passava no centro, pegava meu marido e juntos buscávamos as crianças na escola). 

Mas nem sempre foi assim. Logo que mudamos para cá, há 4 anos, escolhemos o bairro para moradia aconselhados por dois colegas de trabalho do meu marido. Eles nos convenceram a morar no caminho e assim seguirem juntos (e driblarem os rodízios e etc) até o centro da cidade onde trabalham. Foi uma maravilha, sempre funcionou perfeitamente e nos permitiu ter apenas um carro na família. Na mesma época fiquei amiga da mãe de um colega do meu filho mais velho e foi a mesma coisa: como ela passava em frente de casa na ida e na volta da escola, ofereceu carona diária, gentileza que estreitou muito os laços de amizade entre as famílias. Mesmo em escolas diferentes, ainda hoje os meninos são muito amigos e continuam nos proporcionando encontros agradáveis.

Esta experiência positiva com as caronas me fez ver com imensa simpatia o site Carona Chevrolet que fui convidada a conhecer há alguns dias.  Interativo, no formato de uma rede social e com informações just-in-time sobre as condições de trânsito no País, é uma idéia visionária. Imaginem uma rede social onde pessoas de todo o Brasil podem se cadastrar e colocar o seu itinerário diario para oferecer ou aceitar carona. Está bem, concordo, é meio arriscado, mas você não precisa (nem deve) dizer onde mora, pode combinar num ponto de taxi ou de ônibus perto da sua casa. Como é uma rede social, podemos conversar antes de combinar as caronas e você pode procurar nas comunidades se já tem algumas em sua região, nas proximidades de seu lar ou trabalho. Criei uma comunidade lá e na hora, surpresa, descobri que tem uma ferramenta que  mostra o trânsito da região em tempo real. Bárbaro! Antes de sair de casa o usuário pode colocar a rota dele para saber onde esta com mais e menos transito.

Outra ferramenta bem legal (e nos moldes 2.0) está no Reinventamos Caminhos Yahoo, onde é possível enviar fotos do “seu olhar sobre o transito” para o flickr e participar do Yahoo respostas da formiguinha da Chevrolet. 😉

O que estou tramando? Quero organizar comunidades de mães para o próximo ano letivo, para aulas de inglês, natação e outras atividades que meus filhos precisam fazer. Assim, além de dividir com outras mães e pais o transporte e o tempo de acompanhar os meninos, poderei estimular a troca, a amizade e a parceria dos meus filhos e seus colegas.

Ganhamos muito mais do que tempo, economia de combustível e redução da poluição, podemos promover uma revisão dos caminhos que temos tomado nas nossas vidas. Se você se identificou, entre lá, crie seu usuário e monte sua comunidade também.

P.S. Mas não esqueça da Etiqueta da Carona:

  • O cigarro e a carona: Todo mundo sabe que cigarro faz mal, e melhor mesmo é não fumar. Mas se você for um fumante, não acenda um cigarro sem antes perguntar se o caroneiro ficaria incomodado. Respeite a resposta dele, ninguém é obrigado a engolir fumaça.
  • Hora do lanche: Cada pessoa tem suas próprias regras com o carro. E você, como caroneiro, deve respeitar. Antes de fazer a maior farofa, não custa nada perguntar se a pessoa se importa que você coma no carro dela.
  • Respeite os tímpanos alheios: Você pode gostar de ouvir música nas alturas, mas talvez o seu caroneiro não goste. Aqui vale o bom senso, deixe a música em um volume agradável a todos.
  • Segure os seus dedos: Você, provavelmente, não gosta que as pessoas baguncem as suas coisas. Por isso, é melhor se conter e não mexer no ar-condicionado, janela, banco e rádio do carro, sem pedir.
  • Pontualidade britânica: O seu caroneiro conta com a sua pontualidade para não chegar atrasado no destino. Sempre respeite o horário combinado.
  • Mostre os dentes: É bem melhor dividir o carro com uma pessoa bacana. Sorria e seja simpático, caronas também são um bom jeito de começar uma amizade.
  • Nada de bolos: Caso apareça um imprevisto que impeça a carona, avise antes. Assim, o caroneiro pode se arranjar com outros meios de transporte sem prejudicar os seus compromissos.
  • Trato é trato: Se vocês combinaram um trajeto, não mude em cima da hora. Para você pode ser só um pequeno desvio, mas para a outra pessoa pode resultar em um belo atraso.
  • Gosto não se discute: Se o dono do carro ama música sertaneja, e você é do metal, paciência. Ele está no carro dele e tem direito de ouvir o que quiser. Quem sabe não é uma boa chance para você ampliar seu gosto musical?
Este post é publieditorial.
 
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas