A diversidade da Educação no Brasil

Se você é da turma dos “descontentes otimistas” com a educação brasileira, seu lugar é comigo e com uma turma super do bem na Roda de Conversa “A diversidade da Educação no Brasil” que acontece hoje, 04/09/2014, a partir das 14h30 no (sempre querido) Centro Ruth Cardoso. Estarão lá André Gravatá (Coletivo Educ-Ação); Gabriela Romeu (Infâncias); Eduardo Cuducos, Daniel Larusso (Expedição Liberdade) e Caio Dib (Caindo no Brasil).

Em seguida, as 18h30, acontece lá o lançamento do livro “Caindo no Brasil”, resultado de uma proposta que usa a inteligência educacional para empoderar pessoas e projetos. Começou com uma viagem pelo Brasil para conhecer as diversas realidades nacionais e iniciativas educacionais que realmente estivessem fazendo a diferença na sociedade, resultando em tantas práticas e tantas redes que atuam para esse propósito que, em 2014, Caindo no Brasil se tornou um negócio social que auxilia na criação e na potencialização de projetos que busquem melhorar a Educação brasileira.

Quer saber mais do tema? Ainda está disponível, para download gratuito, o livro Volta ao mundo em 13 escolas – sinais de futuro no presente, projeto de André Gravatá, Camila Piza, Carla Mayumi, e Eduardo Shimahara, do Coletivo Educ-ação.

Eles foram buscar histórias inspiradoras com novos olhares para a educação contemporânea e visitaram 9 países em 5 continentes, reunindo 13 espaços de aprendizagem que representam parte das iniciativas que hoje estão reinventando a educação e, pouco a pouco, trazendo para o centro das discussões valores como autonomia, cooperação e felicidade.

 

Mais do que um registro de iniciativas, Volta ao mundo em 13 escolas é uma plataforma para estimular mudanças práticas na educação. Não há fórmulas mágicas espalhadas pelos capítulos, mas sim histórias e perguntas para que o leitor se inspire e se questione. No Brasil, uma das paradas dos pesquisadores foi na EMEF Amorim Lima , que extinguiu as aulas vagas, trouxe a cultura para dentro de si e se tornou pioneira na introdução do modelo de instituição de ensino democrática no País. Ela faz parte do projeto Escolas que Inovam.

🙂

Vem também se engajar e se tornar um cidadão que inova!

Na foto, registro do encontro com André Gravatá no R.I.A. Festival 2014. Das pequenas grandes alegrias dos eventos da Fundação Telefônica Brasil é conseguir conversar com pessoas do bem como ele. Sou grata aos meus clientes que me permitem ter como trabalho ouvir e repercutir idéias maravilhosas como as dele, Renato De Paiva Guimaraes, Eduardo Lyra, Carolina de Andrade e tantas pessoas do bem que encontro profissionalmente.
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.