cinema / destaque / entretenimento

20170725-bye-bye-alemanha-papo-de-cinema1

Vi um update contando do Dia Internacional de Lembrança do Holocausto e na hora lembrei do filme Bye Bye Alemanha que vi recentemente e acabei não recomendando no blog.

Foi um dos pontos altos do #CinemaEmCasa em 2017 e por isso merece um destaque. Além disso, é daqueles filmes que, se a gente contasse com as “principais  críticas”, ficaria sem ver. Um grande jornal o acusou de “falhar ao tentar fazer piada com o Holocausto”. Se eu não fosse curiosa, não teria insistido depois de ler isso, pois sou daquele tipo de pessoa que não curte e não admite piada com minorias e com sofrimento humano.

Mas sou curiosa, insisti e valeu.

O trailer já mostra que o longa pegou um caminho fora do padrão dos filmes sobre a Segunda Guerra Mundial, o Holocausto e as famílias judias depois de tudo que o mundo viu, lutou contra ou foi conivente.

Dirigido por Sam Garbarski (Irina Palm; Um Bairro Distante) e protagonizado por Moritz Bleibtreu (Corra, Lola, Corra; Soul Kitchen), Bye Bye Alemanha narra a história de David Bermann, um judeu que viveu os horrores dos campos de concentração e que sonha em ir embora da Alemanha depois da Segunda Guerra Mundial.

Não é um filme sobre histórias reais, sobre aventuras possíveis (algumas são tão inacreditáveis que lembram um pouco As Aventuras de Pi), mas também não é a amargura das desventuras em série. É sobre o confronto de quem esteve nos campos de concentração, sobre quem teve a sorte de sair da Europa antes, sobre não conseguir fugir das origens, sobre perseverar, sobre a culpa de quem sobreviveu e sobre como continuar.

filme-es-war-einmal-in-deutschland-07

Sobretudo como continuar depois de tudo, onde tudo aconteceu.

Achei essa parte a mais forte e emblemática no personagem David Bermann. Só essa reflexão já vale o filme todo.

E, numa época em que tantos estrangeiros se voltam para Alemanha e ela se tornou um local desejado por muitos, há reflexões sobre o que poucas décadas podem fazer num lugar, sobre o quanto as experiências mais terríveis podem mudar o mundo para algo (um pouco) melhor.

🙂

Ah, e o update que me fez lembrar filme vale o destaque:

O Dia Internacional da Lembrança do Holocausto é um dia em memória das vítimas do Holocausto, o genocídio cometido pelos nazistas e seus adeptos que ceifou a vida de milhões de judeus durante a II Guerra Mundial. Ele foi designado ao dia 27 de janeiro, pela resolução 60/7 da Assembleia Geral das Nações Unidas em 1 de novembro de 2005, durante a 42ª sessão plenária desta organização.

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas