Brincadeiras de infância ajudam a ficar em forma – e em paz!

Natal na tia Aleteia e no tio Juliano -11

No ano passado eu falei disso também: brincar com os filhos gasta uma energia! Se em 2009 eu levantava a ideia de que Brincadeira de criança deixa em forma, agora eu penso mais no lado psicológico. Como é bom deixar as preocupações do trabalho e se concentrar só na próxima jogada no Banco Imobiliário, nos recortes e colagens do trabalho artístico, nos metros que andamos com a bicicleta, na escolha do próximo brinquedo no parque de diversões.

Antes das férias nós passamos um dia inteiro como crianças no Hopi Hari a convite do sabonete LifeBuoy. Eu já tinha ido lá algumas vezes com os meninos, mas desta vez, por conta dos cuidados das acompanhantes da agência que nos convidou, eu pude só curtir. Fomos e voltamos de ônibus deles, tinha água mineral para todos, escolhi a comida e outros foram comprar e me trouxeram, enfim, fui criança por algumas horas, preocupada apenas em partilhar da companhia dos meus amigos pequenos e grandes – estavam comigo e Gui as mães @doduti (e o @meninolucas) @alinekelly (e @gabriel)_spider, Clara e Júlia) e Patrícia do @comercrescer (com o marido e os loirinhos Samuel e Miguel). Nem com nos cuidados com lavar as mãos eu tive que assumir, claro, porque as moças levaram sabonetes e as crianças fizeram a festa com água e sabão!

Natal na tia Aleteia e no tio Juliano -8

E por falar em água e sabão… No dia de Natal meu concunhado, Juliano, fez uma surpresinha para as crianças: deixou um plástico enorme num ponto de declive do terreno e, no horário de maior calor do dia, depois do almoço e exatamente quando caiu uma chuva de verão, convidou-os a brincar lá com a mangueira, água e sabão (sim, sabão em pó, pode?). Só não fui junto porque não tinha como trocar de roupa, mas o Gui encarou com as crianças e o resultado foi um tempo sem igual em termos de diversão, liberdade e alegria! Que maravilha ver as crianças se sujando na poça de água com terra que se formou no final da descida (um verdadeiro charco) e voltarem rindo na subida para poderem se molhar na mangueira e descer novamente.

Aprendemos muito com esta chance de voltar à infância, não há dúvida. Li uma reportagem que partia do saudosismo que nós, adultos, sentimos toda vez que vemos alguma criança correndo no “pega-pega” ou pulando corda no quintal. E fazia um convite parecido com este que eu aceitei: aproveitar as brincadeiras infantis para entrar em forma de uma maneira divertida e nostálgica. É brincar prá valer com os filhos – e uma professora de educação física entrevistada afirmava que exercícios como bambolê, corda e patins valem por parte da academia – e aproveitar as que, nesta estação, podem ser feitas ao ar livre, trazendo, além de motivação, benefícios para o humor e para a autoestima.

E relembrando dados científicos: pesquisa recente feita pela Universidade de Essez, no Reino Unido, comprovou, por meio do acompanhamento com mais de 1,2 mil pessoas que bastam cinco minutos de exercícios físicos ao ar livre para colher benefícios significativos à saúde mental. Além das vantagens para a cuca fresca, exercícios infantis, quando feitos disciplinadamente, oferecem grande gasto calórico e resistência física.

E aí, que tal começar com seus filhos (sobrinhos, netos, afilhados) já?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook