Breasfeeding and advocating for the first hour



Breasfeeding, advocating, campanha virtual em defesa do aleitamento, campanha virtual, Save the Children, breastfeed their baby, Superfood for Babies, aleitamento, Manu, amamentar, aleitamento materno, parto, Tiffany, Matsuno, pregnant, breastfeeding in Brazil, donate milk, Social Good Moms, #firsthour, @socialgoodmoms,

Este é um post de apoio à campanha virtual em defesa do aleitamento na primeira hora de vida do bebê.

“According to a new report by Save the Children, women who choose to breastfeed their baby in the first hour after giving birth can literally be saving their baby’s life. This report, called Superfood for Babies, says that 830,000 babies could be saved EVERY YEAR by breastfeeding in the first hour, even more if mothers are able to breastfeed for 6 months or more.”
advocatingforthefirsthour.tumblr.com

Você tem filhos e nunca tinha ouvido falar da importância de aleitar o bebê no peito na primeira hora de vida? Infelizmente você não está só! Mas podemos fazer muito divulgando este assunto e fazendo escolhas diferentes com base na informação e conhecimento.

Visitei na semana passada uma possível maternidade para o parto da Manu e duas coisas sobre esta primeira hora me agradaram:

- poderei amamentar tão logo ela nasça, independente do tipo de parto – normalmente so partos normais humanizados prevêem isso e em casos emergenciais perde-se este vinculo imediato e foi assim com meus outros partos. No primeiro eu não sabia dos estudos que relacionam o aleitamento na primeira hora e a saúde do bebê e no segundo, mesmo desejando fazê-lo, só consegui aleitar quanto fui pro quarto.

- meu esposo poderá dar o primeiro banho na bebê, seguindo a equipe médica nos primeiros cuidados com ela assim que sair da barriga. Das outras vezes, embora ele tenha acompanhado o parto, quem fez estes primeiros atendimentos foi a equipe de enfermagem e pediatria.

Sam Shiraishi, Enzo, Giorgio, Manu, amamentar, aleitamento materno, pregnant, breastfeeding in Brazil, brazilian's mother

Como notei que no site não tem historias de brasileiras, enviei a minha, escrita às pressas no iPhone (como sempre, que me perdoem os erros de digitação e, neste caso, concordância). Acho importante contarmos como descobrimos e absorvemos os bons parâmetros da maternidade e assim inspirarmos mais e mais famílias a viverem uma experiência positiva e feliz.

Conte a sua você também!

I grew up seeing moms breastfeeding their babies and, thanks God, hardly hearing sad histories about that. When I was 7 years old my youngest sister Tiffany was born and I remember how beautiful my Mother looked breastfeeding her until she was a big baby, even after start eating some food.
I believe that example – and also the stories about my Grandmother Matsuno, who breastfeed all of 8 children and the youngest son (born when she was 42 years old!) until 2 years old! – made me almost ready to do the same for my children.
Example is important, but also is information. When my fist son was born, besides I was prepared to breastfeed, I knew anything about First Our and my baby came to me almost 3 hours after my emergency all c-section.
For the second child I tried to reduce this time between birth and breastfeed, but it was still 2 hours.
Now that I’m pregnant with our third baby, I decided to breastfeed right after she was born and I already communicate the hospital and team who will be with me there.
I know that by choosing to breastfeed my sons — both of them for almost two years — was one of the best decisions I ever made, so good as it was to decide to donate my extra milk for the first months.
I also used to advocate for breastfeeding in Brazil since 2000, taking part of small events to talk with moms in poor communities and since 2005 using my blog “A Vida Quer” to write and inspire other families to choose breastfeed and donate milk.
I can see great results of this 13 years taking about this and I’ lm really glad do be able to bring this campaign to my country. Thanks Social Good Moms to tell me about it today!

Sam Shiraishi, 40, jornalist and social media entrepreneur in São Paulo, mother of Enzo (12), Giorgio (10), pregnant of Manuela, runs A Vida Quer, blog about culture jamming and family.
www.avidaquer.com.br

[update]

Meu relato já está no tumblr colaborativo #firsthour, publicado pela equipe do movimento Social Good Moms, movimento que pode ser acomodando no Twitter (@socialgoodmoms) e no site (mombloggersforsocialgood.com).

Breasfeeding, advocating, campanha virtual em defesa do aleitamento, campanha virtual, Save the Children, breastfeed their baby, Superfood for Babies, aleitamento, Manu, amamentar, aleitamento materno, parto, Tiffany, Matsuno, pregnant, breastfeeding in Brazil, donate milk, Social Good Moms, #firsthour, @socialgoodmoms,

[/update]

 

Posts relacionados:

Google+ Comments

Tags: #firsthour, @socialgoodmoms, advocating, aleitamento, aleitamento materno

Comente, compartilhe! ;)

12 respostas para “Breasfeeding and advocating for the first hour”

  1. Bruno Lira disse:

    Muito bom Sam, parabéns! :) As mães precisam saber dessa informação tão importante! Já vou da uns toques nas mães de primeira viagem que conheço! :)

  2. Depende muito da área e do hospital, quando a Julia nasceu morávamos no estado de Washington e os hospitais por lá são super progressistas, pró-amamentação, não tem berçário, o bebê fica com a mãe o tempo inteiro, de imediato. Saímos da sala de parto e fomos as duas direto pro quarto, as mães não tem nem que ir pra nenhuma área de recuperação separada nem nada. Lá a Julia tomou o primeiro banho, trocou a primeira fralda, a enfermeira com o meu marido ajudando e aprendendo enquanto eu assistia. Logo depois ela veio mamar.

    Já com o meu filho aqui no Texas foi bem diferente, os hospitais aqui na área tem políticas mais tradicionais; depois do parto eu fui pra uma área de recuperação e ele foi pro berçário (com o pai) onde deram o primeiro banho e só depois que eu estava pronta pra sair da área de recuperação é que trouxeram ele pra mim, pra primeira mamada.

    Sinceramente não sei dizer quanto tempo se passou do momento do nascimento até a hora que eles realmente mamaram!

    Estou indo lá no site pra saber mais!

  3. Como ainda não tive filhos e isto não está nos meus planos ainda, é um assunto que pouco conheço, só por curiosidade mesmo e em nossas conversas Sam (rs). Mas confesso que isto tudo que você disse (do banho e do aleitamento nas primeiras horas) nunca havia passado pela minha cabeça. achei interessante. Vou perguntar para a minha mãe se foi feito comigo.. rs

  4. […] A ação aconteceu em fevereiro deste ano e uma das participantes foi a nossa Link Social Good Samantha Shiraishi, com um post no seu blog A vida como a vida quer. […]

Deixe uma resposta

Você precisa fazer o login para publicar um comentário.