a vida quer

Eu gosto de ser mulher

“Eu gosto de ser Mulher”

Um furo inacreditável da minha parte, mas no sábado eu simplesmente esqueci de escrever para a blogagem coletiva Eu Gosto de Ser Mulher, promovida pela Lunna Guedes. Se eu não tivesse divulgado aqui que participaria… mas pelo que li nos blogs de Maria Augusta e Luma Rosa, meu texto não fez a menor falta. Que qualidade! Deixo aqui meu mea culpa e o convite para que leiam o que elas contaram sobre mulheres que foram especialíssimas no seu tempo e área de atuação. As três são, em suas respectivas áreas de atuação e nos blogs que mantém, mulheres que eu gostaria de homenagear nesta ocasião e que deixam sua marca como outrora as figuras históricas que homenagearam fizeram.

“o motivo da minha proposta para este dia 01 de março com a Blogagem Coletiva “Eu gosto de ser mulher” – repito que meu pensamento era singular – visando falar de mulheres que fizeram a diferença.” (Lunna Guedes, sobre a blogagem que propôs)
  • No Le Jardin Éphémere, a homenageada é Marie Curie no texto Irradiando a Liberdade. É uma bela homenagem a esta cientista extraordinária e pioneira, que enfrentou com altivez todas as dificuldades do mundo feminino, descritas por Maria Augusta com beleza e leveza, mas sobretudo profunda admiração.
“Graças a mulheres assim que hoje podemos trabalhar e nos realizar profissionalmente, pois elas elas provaram sua capacidade, abrindo caminho para as conquistas femininas, não contra os homens, mas ao lado deles.” (Maria Augusta, sobre Marie Curie)
  • No Luz de Luma, Jane Austen, Coco Channel, Emmeline Pankhurst, Camille Claudel, Virginia Wolf e Simone de Beauvoir são lembradas por Luma Rosa num apanhado sobre a luta por direitos das mulheres, que na verdade são direitos humanos.
“Fiquei pensando nas corajosas mulheres de outrora, mulheres bem nascidas, educadas nas melhores escolas, tradicionais de cortesia e descrição, que tinham tudo para acomodarem-se em enfastio de bolos e chás, a trocar conversas fúteis a la Bovary, e no entanto, preferiram lutar por um lugar ao sol.” (Luma Rosa, sobre as lutas femininas no século XX)

Se você também participou, deixe seu link nos comentários para eu ler! 😉

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas