Mas será o Benedito?

sera-o-bendito.jpg

Diante de um livro como este, não há muito o que se dizer. Tenho pretensão de oferecê-lo como leitura aos meus filhos. Por enquanto, fica o convite para o lançamento e a dica da resenha de Dirce Waltrick do Amarante e da entrevista (para Isabel Coelho) com o ilustrador no site da editora Cosacnaify.

A modéstia impede Odilon Moraes de se auto-intitular um artista. Mas o ilustrador, que também se aventura na escrita, já trabalhou em mais de 60 livros e reúne um portfólio com 27 telas. O contato com a pintura teve início na infância, aos 6 anos. Seu pai, um juiz de direito e pintor amador (“no sentido de amar a pintura”), o levava para desenhar as paisagens do interior de São Paulo. Advém dessas tardes, longas e silenciosas à beira da estrada, a concepção crítica sobre arte desenvolvida por Odilon: “a imagem é definida pela palavra”.(leia tudo aqui)

Sobre Mario de Andrade, aguardo procunciamento de minha amiga Lunna, que não admite mas está se tornando uma especialista na obra dele.

Serviço:

  • Lançamento e noite de autógrafos com a presença do ilustrador Odilon Moraes
  • Quinta-feira, 17 de abril, das 17h30 às 21h30
  • Livraria da Vila
  • Rua Fradique Coutinho, 915, Vila Madalena, São Paulo
Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook