Beije demorado, perdoe rápido, reclame pouco, sinta muito

 Se não puder beijar devagar, beije rápido, mas não deixe o amor de hoje ficar para amanhã.   Se não conseguir perdoar, apague os
Se não puder beijar devagar, beije rápido, mas não deixe o amor de hoje ficar para amanhã.

Se não conseguir perdoar, apague os “cookies da memória” e tente esquecer ou deixar de lado.

Se não conseguir reclamar pouco, concentre as reclamações no que pode ter um efeito real e positivo, de preferência com resultados coletivos, que vão além do seu bem estar pessoal.

Mas nunca deixe de ser capaz de sentir muito, de viver intensamente as emoções, de se condoer pelo próximo, de se entristecer diante da miséria, de chorar pela tragédia e de sentir empatia. 

E esteja atento para sorrir e viver as pequenas alegrias, pois aquilo que convencionamos chamar de felicidade é basicamente um acumulado desses momentos que para muitos parecem insignificantes.

🙂

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.