Beatles: do RockBand para o stopmotion de LEGO

Aqui em casa tenho dois fãs de Beatles, formados, admito, pelo jogo de Wii Beatles RockBand. Foram poucos meses (porque não liberamos para jogar em dia de escola e tudo mais), mas o suficiente para que o jeito beatlemaníaco dos pais se mostrasse forte nos filhos. Ouço feliz os meninos cantarolando as músicas por aí e confesso que adoramos quando notamos que eles têm um lado mais rock n’ roll até quanto aos garotos de Liverpool.

Incorporo abaixo três vídeos nos quais está bem definida a visão dos meus meninos geeks, uma homenagem feita com LEGOs e stopmotion das canções que eles mais tocam dos Beatles – e que, coisa boa, duas são do “álbum branco”. E o melhor é que eles me ensinam sobre a história das canções porque, afeitos à pesquisa, esta geração Google e Wikipedia, nunca aceita apenas ouvir, quer saber mais e fazer muitas coisas ao mesmo tempo!

Revolution

A canção é creditada a Lennon/McCartney, porém é um trabalho basicamente Lennon/Yoko Ono que implementava a influência avant-garde nas composições de Lennon através de “Revolution 9.” Acreditando que a música era muito anti-comercial, mesmo para uma canção Beatle, os outros integrantes, principalmente Paul McCartney, realmente tentaram (sem sucesso) convencer John a não colocar essa música no disco. Já George Martin sempre admirou a música, chamando-a de “música do futuro”.

Helter Skelter

(que Enzo diz ter sido a primeira gravação reconhecida como heavy metal)

Helter skelter é o nome de um brinquedo britânico muito popular, que consiste em um tobogã em formato de espiral. Paul fala sobre no livro “Many Years From Now” de Barry Miles: “Eu usei o símbolo do brinquedo helter skelter como uma ida do topo para o fundo – a ascensão e queda do Império Romano – e esta era a queda, a decadência, a ida para o fundo. Você pode pensar que é um título bonitinho, mas é tido como referência, desde quando Manson tomou como um hino, quanto as versões que as bandas punks faziam por ser um rock sujo.” Além disso, o termo helter skelter pode significar também confusão, algazarra, desorganização.

E (minha favorita ever, tanto na música quanto neste grupo de clipes): Come together

John Lennon escreveu esta música para Timothy Leary, baseado no slogan da campanha deste para o governo da Califórnia em 1969 (Come Together, Join the Party). Tem influências da música de Chuck Berry “You Can’t Catch Me”. A letra é nonsense, sujeita a interpretações diversas.

E você, conhece outros clipes assim? E quais as suas canções favoritas dos Beatles? Conte aí!

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook