Aqui se brinca!

aqui se brinca selo omo

Quem me lê há algum tempo sabe que eu já fui Embaixadora da campanha Porque se sujar faz bem, patrocinada por OMO (Unilever) no Brasil e em vários países sob o lema “dirty is good”. Receber o convite foi uma honra e por seis meses eu estive à frente de uma comunidade no orkut, que eu mesma criei e moderei, vendo-a crescer como um filho dileto que a gente cria para o mundo. Quando o filho alcançou maturidade mínima – traduzido em mais de mil membros – eu passei o bastão para uma pessoa mais capaz profissionalmente no tema da brincadeira, Claudia Siqueira, do Instituto Sidharta.

Mas eu continuo lá de olho, né? Aprendi muito sobre o brincar desestruturado com o pessoal desta área da OMO e da Fbiz, agência que me contratava e este aprendizado mudou minha vida em família. E sei que ele tem mudado a vida de várias escolas também, o que é absolutamente fantástico!

Na noite de terça-feira uma premiação muito especial reconheceu o trabalho de vários educadores com o Selo Aqui se Brinca, que reconhece escolas que investem no brincar e é um motivador para troca de conhecimentos e de práticas entre as instituições. As cinco melhores recebem parques estruturados no valor de até R$ 15 mil cada e as 25 seguintes são premiadas com a ferramenta “Baú de Possibilidades”, desenvolvida para potencializar brincar não estruturado. Esta premiação acontece há sete anos e ocorre junto com estudos sobre a importância que o brincar e a liberdade para se sujar têm para a infância.

Profissionais famosos da educação foram convidados para avaliar as escolas: Adriana Friedmann, Gisela Wajskop, Lourdes Atié, Marcos Ferreira Santos e Marilena Flores Martins, considerando escolas que brincam as que promovem atividades permanentes e continuadas do brincar, criam soluções criativas e eficazes para transpor obstáculos, têm o brincar como tema de formação continuada de seus educadores e consideram que o direito de brincar é um ato de conquista da cidadania, entre outros quesitos.

“Esperamos impactar mais de 27 mil escolas em todo o estado. Queremos reconhecer, estimular, dar visibilidade ao brincar e compartilhar informações. Nossa missão é promover as brincadeiras como forma de aprendizado pelas experiências a fim de favorecer o desenvolvimento infantil e, assim, despertar o potencial humano. Neste ano, queremos ir além do âmbito teórico, mobilizando e gerando oportunidades para que as pessoas façam mais pelas crianças”, declara Priya Patel, diretora de pesquisa da Unilever.

Segundo li, no último estudo realizado por Omo, chamado “A Infância na Visão Global das Mães”, 79% das entrevistadas acreditam que o conceito “brincar” se perdeu em seus países e 92% declaram que é seu dever enfrentar este desafio e proteger a infância. A pesquisa feita com pais e mães brasileiros chamada ‘A Descoberta do Brincar’ mostrou que a escola é o terceiro lugar onde as crianças mais brincam e o primeiro onde mais brincam socialmente.

Meu sonho? É de que alcancemos as metas que o Todos para educação tem para o Brasil até 2022 e ao mesmo tempo possamos implementar estes conceitos lúdicos nas escolas, oferecendo uma nova vida para nossas crianças!

Então, nesta premiação, deixo minha homenagem a todos os educadores premiados na figura da Profª Elaine Faria, que eu conheço da comunidade de OMO e é de uma das escolas finalistas, E.M. Prof Ivonne dos Santos Dias de Bragança Paulista, e é editora de um dos blogs brincantes, com o Deixando Marcas.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook