bem estar / mãe

O vídeo abaixo é de uma fofura sem igual e me fez reviver minha alegria quando comecei a andar de bike sem rodinhas, tanto quanto a de meus filhos quando começaram a andar bem de bike (mesmo que com rodinhas). O garotinho do vídeo faz discurso entusiasmado convidando outras crianças aprenderem a andar de bicicleta, dizendo que “acredita” que elas conseguem!

E como falta para nós, no cotidiano, acreditar que podemos! Para começar, que tal brincar com coisas que ficaram lá na infância da gente? Em Brincadeiras de infância ajudam a ficar em forma – e em paz! eu indicava algumas ideias ligadas a brincadeiras infantis para ficarmos em forma. E já que as férias estão aí, que tal aproveitar o tempo que sobrar para brincar prá valer com os filhos – exercícios como bambolê, corda e patins valem por parte da academia, dizem os especialistas –  e desestressar? Uma pesquisa conta que bastam cinco minutos de exercícios físicos ao ar livre para colher benefícios significativos à saúde mental. Além das vantagens para a cuca fresca, exercícios infantis, quando feitos disciplinadamente, oferecem grande gasto calórico e resistência física.

Aventuras urbanas numa manhã de domingo: 25km de bicicleta no centro de São Paulo

E se a bicicleta for a pedida e você encarar ensinar – ou aprimorar – ao seu filho o prazer de andar de bike pelo bairro, em Bote seu filho para pedalar tem dicas do personal trainner Carlos Klein e um infográfico com os novos e imprescindíveis equipamentos para estes passeios na cidade ou no campo.

O que conta é ensinar e incentivar as crianças a terem uma vida mais ativa. As crianças precisam ser ativas e devem aprender na infância como permanecer saudável, insistem os especialistas. Incentivá-los andar a pé ou de bicicleta é uma grande oportunidade para ajudar a conseguir isso.

🙂

Posts relacionados

Você pode gostar também de ler:
  Esse texto é para você, que assistiu o filme e está fritando para ler
Aziz e Fatima Ansari em Master of None No mês das
A gravidez na adolescência teve uma queda de 17% no Brasil segundo dados preliminares do
Estudo comprova que a necessidade evolutiva de proteger o bebê expande habilidades das mães Uma
Ali Wong - Baby cobra Nesse final de semana vi "Ali
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas