Por que não nos esforçamos mais para ver os amigos? Será falta de tempo ou um pouco de auto sabotagem?

Alguns estudos partem da ideia de que as pessoas se relacionam mais por conta das redes sociais, mas que igualmente estas redes, por nos manterem atualizados sobre a vida pessoal e profissional dos amigos, nos deixam mais preguiçosos para efetivamente nos encontrar.

@jocke,  @mawa

Outro dia vi no Facebook uma imagem que brincava com os comerciais de telefonia e a menor distância entre você e um amigo. Nesta semana, tentando marcar encontros com duas amigas no Twitter e conversando com outra sobre a dificuldade de nos encontrarmos neste ano, reflexionei sobre nossa própria falta de empenho nesta aproximação.

Eu tenho me perguntado se estas “falhas” são distância física, correria do cotidiano ou uma desculpa para não nos permitirmos mais alegrias sabe?

Noto que meus amigos que são emocionalmente mais bem resolvidos não protelam encontros, eles marcam, se empenham, vem (ou vão) ao encontro, são pessoas prontas para a troca, com eles eu mesma não consigo “fugir” nem ficar com preguiça de passar bons momentos conversando, rindo, consumindo cultura, enfim, compartilhando lazer.

Por que não nos esforçamos mais para ver os amigos? Será falta de tempo ou um pouco de auto sabotagem?

Opine aí, querido leitor, ajudando nesta reflexão. Pensar alto com os amigos é muito melhor, não é mesmo?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook