a vida quer

“A decisão da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determina que o professor receba R$ 10 mil por danos morais.”

Um estudante de São Paulo terá de indenizar um professor por danos morais devido a postagens ofensivas no Facebook. A decisão da 5ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo determina que o professor receba R$ 10 mil por danos morais.

As informações são do site do TJ-SP e explicam que um ex-aluno de Escola Técnica Estadual teria postado no Facebook imagens manipuladas do professor, que o associavam ao consumo de álcool e drogas e insinuavam que ele teria recebido vantagens com a venda de uniforme escolar.
Neste caso, o aluno terá de arcar pessoalmente com ônus pois já era maior de idade quando a sentença foi proferida.

✔️Em sua defesa, ele alegou que tratavam apenas de brincadeiras típicas de adolescente e que foram publicadas em um grupo fechado. 

(Deixa de ser agressivo porque era privado numa rede “social”? Não!)

✔️Segundo testemunhas, as imagens foram impressas e tiveram uma repercussão negativa no ambiente escolar.

✔️O desembargador James Siano, que relatou o caso, declarou que a sentença tem por objetivo coibir a repetição desse tipo de conduta.

“A profissão de professor, atualmente tão desvalorizada, não deve, pela exposição àqueles que educa, tornar natural e contextualizadas imputações infundadas, jocosas ou não, suscetíveis até mesmo de colocar em xeque sua idoneidade, justamente em seu ambiente de trabalho”.



Uma decisão assim abre precedente (jurisprudência) para uma mudança na forma como se entende esse delito. 

 
Certo ou errado? Porque a sobrecarga será sobre os pais que, em última análise, podem ter fornecido as condições para o uso de internet. Ou não?

Eu entendo que devemos preservar os professores, orientar os alunos e, por que não, educar os pais para a vida digital.

E vocês, o que acham?

The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook

SEO Powered by Platinum SEO from Techblissonline Estatísticas