Álbuns de figurinhas podem ser educativos

colecionar figurinhas pode ser educativo

O sobrinho que começou a curtir álbuns de figurinhas me lembrou os primeiros que completamos aqui: Natureza, Cavaleiros do Zodíaco e Marvel. Eu sempre fui (exceto por X-Men) “Team DC Comics”… Mas o que que a gente não faz por amor, né?
(risos)

Falando sério, colecionar figurinhas pode ser educativo, sabiam? Eu (que sempre amei coleções e figurinhas) incentivei os meninos a partir dos 4 anos. E no 1º ano foi tema de atividade da escola: a turma toda colecionou um álbum em comum para estimular trocas, a noção de conclusão de projetos e alguns conceitos matemáticos.

 

“Estudos de comportamento realizados com crianças de vários países mostraram que manter uma coleção durante a infância é mais do que um simples passatempo porque contribui para a formação da personalidade, aumentando a auto-estima e diminuindo o estresse. Além disso tudo, esse hobby pode aproximá-lo das pessoas e torná-lo menos dependente já que você vai ter de decidir sobre o que trocar, o que comprar, como guardar.”

Se você está nesta onda, vale a pena conhecer o TrocaFigurinhas.com, um site do qual fui praticamente fundadora – sim, comecei lá bem nos primórdios, quando a gente fazia doação para manter o site no ar! O site é bem funcional, basta se cadastrar e depois registrar as figurinhas que já tem em cada álbum. A seguir é só usar o sistema que busca automaticamente os usuários com mais compatibilidade com você e combinar a troca. Uma rede social interessante que permite reunir pais e filhos num ambiente seguro e saudável.

jogos para ajudar na escola

E o papo de figurinha remeteu à reportagem sobre Jogos na educação, que li em março na Nova Escola. Super recurso para trabalhar várias disciplinas de todas as idades. E as #familiasbrincantes podem aproveitar para reforçar aprendizado de forma lúdica nas férias. No site da revista há um especial com muitas reportagens e dicas sobre o tema: http://revistaescola.abril.com.br/jogos.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.