Adotar ou comprar um cão?


Nós pensamos em comprar, mas fomos surpreendidos com o amor à primeira vista de Giorgio por uma “sem raça definida”. Como na história de Sprite, de Salvando um vira-lata, a gente acha que os salva ao adotá-los, mas depois de algum tempo percebemos que é o contrário. Mark Levin contou que  o cão adotivo significou, em conjunto com  Pepsi, cão de raça comprado anos antes, a companhia e o apoio de que ele precisava em momentos difíceis na sua vida pessoal por conta de sua saúde.

Para nós o cão, que passamos tanto tempo planejando e escolhendo (li vários livros sobre cães, como contei aqui), vinha com o objetivo de ser uma cura emocional. Há um ano, em 08/07/2008, meu filho Giorgio sofreu um acidente grave que exigiu algumas plásticas e um longo período de recuperação – e a causa foi uma mordedura de pitbull no lado direito de sua face e cabeça. Dramas à parte – embora falemos disso sempre para alertar as pessoas, não fizemos drama nem na época -, o fato é que ele sempre adorou cães e naquelas férias nós já planejávamos adquirir um. E esta vontade foi crescendo conforme ele melhorava e se curava fisicamente, com a idéia de que a cura emocional se completaria quando ele tivesse a companhia amorosa de um cão.

Giorgio e Linda por você.
Giorgio e Linda vivem assim, grudados.

O destino nos fez conhecer uma SRD (sem raça definida) longe de casa, numa calçada do Brooklin, durante um passeio de domingo na festa gastronômica Mainfest. Foi a primeira vez que Giorgio pegou um cão no colo – e naquele dia não quis largar – e foi assim, numa feira da ONG Amigos dos bichos, que a Linda veio para nossa família. Passamos por entrevistas, assinamos documentos (cães tem registros de animal como nosso RG de gente) e assumimos o compromisso de castra-la para evitar novos filhotes indesejados. Em seguida saímos de lá, passeando pela feira, com aquela pecorrucha no colo, orgulhosos e recebemos muitos sorrisos e comentários simpáticos pelo caminho.

Ela tem sido uma companhia muito querida, amorosa, discreta, mas também bagunceira e animada, pois dizem que o cão reflete a personalidade do dono – e o dono é o Giorgio, claro!  Para Linda é o começo de uma vida feliz depois de ser encontrada por uma das cuidadoras da ONG num terreno baldio, abandonada na companhia de seus três irmãozinhos, e para nossa família é o final feliz de uma história que poderia ser triste, mas que preferimos encarar como mais um capítulo da longa vida que nosso pequeno tem pela frente.

[Linda] A garota da mamãe por você.

P.S. A ONG Amigos dos Bichos, que nos permitiu ter a Linda, tem feira de adoção de cães e gatos neste mês de julho, nos dias 18 e 19/07 no Pão de Açúcar da av. Ricardo Jafet, no Ipiranga.

Posts relacionados: Adotar ou comprar um cão?Os direitos e deveres dos animais de estimação em apartamento, Cuidado com as feiras de vendas de animaisConvívio com animais favorece sistema imunológico e Quem aí tem animais de estimação que fazem toda diferença na vida das crianças?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook