Acolhimento dos menores em situação de risco

resgate social

Acontece nesta terça, 22/09, das 9h às 18h, no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo, o Seminário “Reflexões e Perspectivas da Política Municipal de Acolhimento em São Paulo” (organizado pela Comissão de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude).

No release que recebi dizia-se que o encontro objetiva “analisar e discutir de forma crítica a rede de proteção social existente na cidade de São Paulo para as crianças e adolescentes em situações de risco”. Desde que mudei para cá, em 2005, ver os menores em situação de risco largados pelas ruas da cidade, sem ações como as que testemunhei em Curitiba no sentido de convidar os menores de rua (ou em situação de risco de virar moradores de rua) para lares como os do projeto Piá,  me deixava à beira da desesperança. Saber que este tema e possilvemente as políticas públicas para o acolhimento e resgate destes moradores de rua me deixa com esperanças renovadas. Não sei se poderei ir até o evento, mas gostaria de presenciar os debates sober o descumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), a nova Lei de Adoção, o papel dos Conselhos Tutelares, a ineficiência dos abrigos e CRECAS e falhas nos serviços de acolhimento dos jovens em casos de drogadição e pedofilia.

Cartaz Criança e Adolescente
clique sobre a imagem para amplia-la e ver a programação

Estarão presentes os vereadores de São Paulo, o juiz de Direito da Vara da Infância e Juventude, Dr. Reinaldo Cintra Torres de Carvalho, representantes da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), do Ministério Público e da Defensoria Pública, conselheiros tutelares e coordenadores de abrigos. A promessa é de que após o término do Seminário o grupo formule uma carta-proposta, que indicará diretrizes e políticas públicas voltadas à expansão e aperfeiçoamento desta rede de proteção social.

 

Posts relacionados

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook