Achou impróprio ou ofensivo em vídeo no Youtube? Você pode denunciá-lo!

Ontem uma mãe postou no grupo Mães (e pais) com filhos um comentário sobre um vídeo que tinha tudo para ser denunciado como impróprio, não por conter nudez ou violência, como normalmente nós pensamos quando usamos a expressão imprópria, mas por se tratar do abuso de um menor e sua exposição a uma situação aviltante.

“Sempre conversamos aqui sobre os cuidados para não expor os nossos filhos. Acho que é responsabilidade nossa tbm, zelar pelos filhos de outros que pelo jeito não tem noção do absurdo que estão fazendo. Não sei se o vídeo que posto abaixo foi feito com o consentimento dos pais da criança, mas sei q independente disso, está expondo a criança a comentários pesados, e posso estar exagerando, mas prestando atenção ao vídeo, o local em que essa criança está, me parece muito suspeito (preste atenção no começo do vídeo a mulher ao fundo e a que passa). Sinalizei este vídeo como impróprio, na categoria exploração de menores. O que vcs acham!? http://www.youtube.com/watch?v=3UycGe1HiZI” (@alinekelly aqui)

Vocês concordam com Aline? 25 pessoas concordaram e clicaram no botão “não gostei” do youtube (contra mais de 170 que gostaram do vídeo) e, aproveitando o ensejo, eu fiquei pensando e debatendo com o pessoal no Facebook: não é uma boa hora para todos nós começarmos este trabalho de conscientização e “educação” em nossos blogs? Creio que poucas pessoas sabem direito onde e como reagir quando vê situações que desrespeitam as pessoas.

E como fazer para denunciar:

Na página do vídeo no youtube, basta selecionar a categoria que reflete melhor sua preocupação a respeito do vídeo para que seja analisado e confirmado que ele viola as Diretrizes da Comunidade ou se é impróprio para o público em geral. Mas atenção: usar este recurso de forma excessiva também é uma violação das Diretrizes da Comunidade, portanto não o faça.

Quem gostou talvez não tenha se apercebido das consequências de um vídeo destes na vida da criança. E por falar em perfis infantis e exposição, vale também pensar sobre o assunto, que foi tema de reportagem de Ana Carolina Addario e que vi por indicação da @vivianevivis. Em Perfis infantis criados pelas mães invadem as redes sociais ela comenta o fenômeno dos pais como ghost writers dos filhos e listou 4 dicas para manter os perfis de seus filhos em segurança:

  • No Orkut, Facebook ou Twitter, certifique-se de que você conhece todas as pessoas aceitas como contatos, para não correr o risco de estranhos terem acesso a informações sobre sua família.
  • Customize o acesso ao seu conteúdo: libere fotos e vídeos apenas para os familiares e amigos próximos. Peça a eles para não espalhar os dados por aí sem sua autorização.
  • Cuidado com o tipo de imagem que posta de seu filho: ele pode ficar constrangido no futuro. Existe também o risco de atrair a atenção de pessoas perigosas.
  • Para trocar informações e experiências sobre maternidade, blogs são a opção mais recomendável.

Posts relacionados:

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook