Abstracionistas russos no Rio

Em cartaz de 23/06 a 23/08 no CCBB-Rio (Rua 1º de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro – RJ) a exposição Virada Russa traz ensinamentos e obras da produção artística criada na Rússia desde o começo do século XX até a década de 1930, importante não apenas para a cultura russa, mas para toda a arte internacional daquele período.

A chance é imperdível para o público ver – e com entrada franca! – obras tão importantes que influenciaram artistas das gerações futuras. São 123 obras, todas pertencentes ao acervo do Museu Estatal de São Petersburgo, trazendo ao Brasil parte do movimento cultural ocorrido entre 1890 e 1930 que repercutiu numa grande mudança na história da arte e da Rússia. A mostra tem curadoria de Yevgenia Petrova, Joseph Kiblitsky, Rodolfo de Athaydee Ania Rodríguez Alonso.

A organização promete

“um impacto profundo do belo sobre os sentidos, num show de cores, arte e história. A vanguarda russa, representada pelo suprematismo e o construtivismo, trouxeram a mágica dos pincéis e da arquitetura feita pelas mãos de grandes nomes da arte mundial e marcaram época depois do movimento conhecido como outubro vermelho da Revolução Russa.”

O que me chamou atenção foi o fato de boa parte das obras mostrarem a cultura popular representada nas telas. A organização citava (e foi muito replicada na imprensa) citando Nadiejda Udaltsova e sua obra “Restaurante”, que não conheço, mas, eles garantem, “é uma completa viajem subliminar, através de traços firmes e de cores fortes, mostrando a confusão do surgimento dos campos de interação social da cidade, ainda em construção”.

Já Vassili Kandínski  (que ilustra o post) e Mark Chagall são “conhecidos queridos” e deles posso dizer que as obras encantam qualquer espectador. A exposição promete também a descoberta das obras de Kazimir Maliévitch, Pavel Filónov e Aleksandr Rodtchenko – e se eu puder visitar e conferir, depois conto por aqui, contribuindo para ampliar o que há sobre estes artistas na web brasleira, porque andei pesquisando e há muito pouco!

P.S. E se você estiver no Rio aproveite por mim os últimos dias da exposição dos figurinos de Yves Saint Laurent.

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook