Abraços e beijos

Fernanda postou sobre abraços e não resisti, tinha que comentar aqui porque eu tenho uma historinha sobre beijos e abraços também. Eu falava para meu padrinho que não gostava muito de beijos e que carinho de verdade a gente dava com abraços. Ele sempre lembra disto e até nos e-mails me manda abraços (e ele me manda mensagens quase que diariamente). Só que, com sou muito baixinha, é meio sofrido me abraçar… hahahaha.

Vou seguir o conselho dela e dar um abraço em quem amo tão logo possa. O que acha de fazer o mesmo?

P.S. Também acho estranho este negócio de mandar abraços e beijos no telefone/e-mail (fato que o marido da Fernanda comenta e ela cita no texto), mas confesso que me acostumei. Demorou, mas acostumei e hoje até dou beijos à brasileira nas pessoas quando encontro. 🙂 A cada dia fico menos curitibana, será bom ou ruim?

Você pode gostar também de ler:
The following two tabs change content below.
Quarentona assumida, me sinto uma representante legítima da minha geração e, por que não, um modelo para as mais jovens que desejam envelhecer sem deixar de lado os pequenos prazeres da vida, da comida, da diversão, dos cuidados com a saúde e a beleza, das relações pessoais que fazem tudo valer a pena. Um breve resumo: cristã, jornalista, netweaver na otagai.com.br, blogueira no @avidaquer @maecomfilhos @cosmethica.

Comentários no Facebook